segunda-feira, 31 de maio de 2010

Filho diz quem foi 'Divino Boca Quente'

No dia 14 de maio, entre 11h40 e 11h50, em um açougue nas imediações do Bairro da Paz, meu pai (foto), que estava desarmado, foi alvejado covardemente pelas costas, sendo atingido mortalmente na cabeça sem ter chance nenhuma de se defender, vindo a falecer por volta das 13 horas da tarde. O indivíduo, ainda não identificado, saiu do local apressadamente, após cometer o ato covarde.

Divino Boca Quente, mito e realidade
Divino Boca Quente foi um apelido adquirido nos meados da década de 80, época que ele foi uns dos pioneiros a trabalhar na região. Na ocasião, trabalhava com prestação de serviço braçal, onde um dos seus primeiros patrões, Lázaro José Veloso, o popular “Serraria”, colocou esse apelido de Divino Boca Quente, por ele não ter medo de serviço pesado. Dizia o finado “Serraria” que “Divino era homem de verdade e não tinha medo de trabalhar em boca quente”.

O apelido rapidamente pegou entre os trabalhadores que o acompanhavam, e logo depois, quando foi introduzido no meio político como candidato a vereador, teve o apelido conhecido por todos. Mas devido a outro candidato também a vereador na mesma época, que se chamara Divino Cabeludo, sendo que assim ficou este candidato pelo distrito do Cedere II diferenciado na época desta forma, apelido este que meu pai nunca renegou, não porque exaltava sua fama de valente, mas porque exaltava sua fama de homem de palavra. Esta é a verdade do apelido de Divino Boca Quente.

Divino e seus crimes
Meu pai só matou duas pessoas, sendo uma delas um candidato a vice-prefeito de Canaã, no ano de 1996, e outro que trabalhava de segurança para a atual deputada Bel Mesquita, na época candidata a prefeita no ano de 2000.

Sem entrar em muitos detalhes sórdidos das duas situações, o candidato a vice-prefeito foi alvejado por engano, após meu pai ter sido atirado primeiro por um tiro na cabeça, ainda perto de sua casa. Baleado e desorientado, ele sacou de sua arma, a qual tinha porte, e perseguiu os autores dos disparos por mais de 400 metros. Quando os mesmos viraram em uma esquina e um veículo Gol vinha descendo no exato momento em que meu pai, baleado, atirou achando que eram os mesmos que havia tentado contra a vida dele.

Outro crime praticado por ele foi numa discussão, num comício na porta de sua casa numa disputa de armas onde, após o crime, apresentou-se por livre espontânea vontade na delegacia de Marabá e pagou para justiça o que ela achou justa pelo crime cometido.

Divino, fama que não o convém
Apesar de poucos quererem associar uma fama de homem violento e frio, meu pai nunca foi capaz de cometer nenhum ato planejado contra o direito de seu próximo, muito menos contra a vida dos mesmos. Muito pelo contrário, pagou muitas vezes pela sua inocência, por achar que a palavra de um homem valia, pois, quase sem estudo e com uma criação rude, onde o direito do próximo termina quando o da gente começa, sempre levou sua vida dessa forma.

Mas, apesar de ter uma filosofia de vida assim, nunca foi capaz de arquitetar nenhuma vingança contra seus mais cruéis inimigos, mesmo quando teve várias oportunidades. Prova disso é que meu pai já sofreu dois atentados a bala, sendo que em um deles foi alvejado por 12 tiros e dado como morto, mas retornou ao município como homem honrado que sempre foi, até nos últimos dias de sua vida.

Mesmo sabendo quem foram os mandantes e os autores dos atentados, meu pai entregou os casos para a justiça, a qual nunca foi capaz de fazer nada para colocar os mesmos atrás das grades para pagar pelos crimes que cometeram.

Recentemente, meu pai foi vítima mais uma vez de impunidade, quando teve sua área rural invadida, saqueada e queimada por um grupo de pistoleiros. Mesmo sabendo quem foram os mandantes e os autores de mais essa barbárie contra sua pessoa, novamente entregou o caso à justiça, a qual nada fez mais uma vez.

Se isso é conduta de um homem frio e violento, o que vão dizer essas mesmas pessoas que acham isso dele sobre as pessoas que arquitetaram e atentaram contra sua vida por várias vezes?

Sentimentos da família
Sei que meu pai não foi o mais perfeito dos homens, mas com certeza foi o mais homem dos que já conheci. Os que o conheceram de verdade sabem que ele era um homem de coração grande e bondoso com os que eram bons com ele, mas que também nunca foi homem de fugir de uma briga, pois nunca teve medo de outro homem.

Ele destruiu família em sua vida conturbada, mas que sempre disse que se pudesse escolher preferia que não tivesse acontecido, que não teve o perdão merecido e pregado por Deus, mas que sempre perdoou os que lhe fizeram mal.

Esperamos que após seu assassinato pelo menos desta vez ele veja de onde estiver que a justiça funciona para ele também e não só contra ele, como foi na sua vida inteira, que ele deixou uma viúva e quatro filhos, sendo dois órfãos de pai e mãe, que apesar de tudo ele sempre amou Parauapebas como a cidade que o acolheu e que ele próprio ajudou a construir e por este motivo nunca quis ir embora, mesmo depois de sua morte e de 27 anos de história.

Essa história não acaba com sua morte, apenas se renova, pois ele deixou muitas sementes que já produziram outras e que vão ficar por muitos e muitos anos na cidade que ele escolheu pra viver e morrer. Valdivino Luiz Antunes (Divino Boca Quente) * 25/09/1961 + 14/05/2010
Anderson Lúcio Antunes (filho)

Águia vence Paysandu em Marabá

O Águia de Marabá aplicou 1 a 0 no Paysandu neste domingo (30), em Marabá, na primeira partida da final do Campeonato Paraense de Futebol. O último jogo será no próximo domingo (6), no estádio Mangueirão, em Belém.

Acusado confessa ter assassinado Ana Karina

Na sexta-feira (28) a Polícia Civil prendeu uma pessoa que teria ajudado Alessandro Camilo a dar sumiço no corpo de Ana Karina. O comparsa de apelido “Binêgo” é amigo de Alessandro e possui uma pedaço de terra, arrendado, na Palmares II, onde produz queijo.

Segundo o comparsa, na noite do dia 10, Alessandro Camilo levou Ana Karina para um loteamento na saída da cidade, perto do City Parque. Lá, depois de discutirem, Ana Karina teria dado um tapa no rosto de Alessandro, que, armado de uma pistola calibre 380, efetuou 3 ou 4 disparos contra a grávida de seu filho. Incontinenti, Alessandro escondeu parcialmente o corpo com alguns ramos e partiu para sua residência. Alessandro, no caminho, teria encontrado “Binêgo”, contando-lhe o acontecido e solicitando que o mesmo o ajudasse a dar sumiço no corpo.
Alessandro e “Binêgo” pegaram então um tambor de 200 litros e dirigiram-se ao local onde estaria o corpo de Ana Karina, colocando-o dentro do tambor e completando-o com várias pedras, sendo posteriormente lacrado.

Isto feito, os dois se deslocaram até a ponte sobre o Rio Itacaiúnas, no município de Marabá, e de cima dela jogaram o tambor com o corpo de Ana Karina, aguardaram que afundasse e retornaram para Parauapebas.

“Binêgo” foi preso por agentes da Polícia Civil de Parauapebas quando estava em seu veículo em direção ao terreno arrendado na Palmares II, lhe foi dada voz de prisão e o carro que conduzia foi levado para perícia. A guarnição que prendeu “Binêgo” seguiu ainda para sua casa, que foi revistada, depois seguiram para a DEPOL.

O comparsa de Alessandro foi insistentemente interrogado e na madrugada de domingo teria confessado a participação, apontando o local onde o corpo de Ana Karina teria sido jogado.
Hoje pela manhã, conforme já publicado aqui no blog, a polícia, acompanhada de mergulhadores do Corpo de Bombeiros de Marabá, seguiu para o local mencionado por “Binêgo” na tentativa de resgatar o corpo de Ana Karina.

Há informações que Alessandro Camilo teria, depois de 18 dias e sabendo da prisão de “Binêgo”, também confessado o crime, com riqueza de detalhes. A PM de Parauapebas já providenciou a remoção de Alessandro Camilo e de “Binêgo” para o quartel de Marabá, prevendo retaliações por parte da população.

Ana Karina, grávida de nove meses de Alessandro, seu algoz, desapareceu misteriosamente no dia 10 de maio, após ter se encontrado com o pai da criança. Alessandro foi preso no dia 18 de maio e até então teria negado qualquer participação no crime.

O caso Ana Karina é mais um que mostra o despreparo e a violência que atualmente atinge nossos jovens. Alessandro Camilo, um jovem de 35 anos, resolvido financeiramente e de boa aparência, sem nenhum remorso, tira a vida de uma jovem grávida e não deixa seu filho de nove meses nascer. Só nos resta a pergunta: aonde iremos parar?

Leia aqui tudo que foi publicado no blog sobre o “Caso Ana Karina”. Fonte: Blog Zé Dudu

_______________________

Atualização às 13 horas

Uma terceira pessoa foi presa pela Polícia Civil de Parauapebas acusada de envolvimento no caso Ana Karina. Trata-se de “Magrão”, que, segundo o delegado André Albuquerque, teria participação na ocultação do corpo.

Um grupamento do Corpo de Bombeiros está no local onde o corpo foi jogado, no rio Itacaiúnas, município de Marabá, equipado com sondas, barcos e mergulhadores, na tentativa de encontrar o corpo de Ana Karina.

Alessandro Camilo, acusado pelo crime, foi ouvido ontem à noite em um depoimento que durou cerca de 5 horas e confessou a autoria do crime. Boatos dão conta que, agora de manhã, Alessandro teria afirmado que “Minêgo”, o comparsa de Alessandro, teria atirado em Ana Karina, mas tudo isso leva a crer ser uma estratégia da defesa.

Florentino Sousa Rodrigues, o “Minêgo”, natural de Jacobina – BA, é filho de Mario Rodrigues de Oliveira e Terezinha de Sousa Rodrigues. Está em Parauapebas há bastante tempo, trabalha com corretagem, compra e venda de gado e atualmente estava comprando leite dos assentados das Vilas Palmares I e II e fazendo queijo para comercializar na cidade.

Magrão é pistoleiro foragido da penitenciária de Marabá e foi preso depois de “Minêgo” ter confessado participação e envolvido “Magrão” no episódio. Seguindo A polícia civil, é ele (o pistoleiro Magrão) quem está colaborando nas informações de onde o corpo de Ana Karina teria sido jogado. Em depoimento o pistoleiro também contou como o crime aconteceu. Segundo informou à polícia, Alessandro atraiu a jovem até o local do crime e contou com a ajuda dos dois cúmplices para ocultar o cadáver. ‘Ele revelou que Alessandro disparou os tiros e com auxílio dos dois, colocaram o corpo dentro de um tambor de duzentos litros, colocaram pedras e entulhos dentro e perfuraram a ponta, depois arremessaram o tambor dentro do rio’, disse o delegado André Albuquerque, que preside o inquérito. (Blog Zé Dudu)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Grandes nomes do futebol nacional pedem educação para todos

Na próxima segunda-feira (31), a partir das 10 h, no estádio Maracanã, ídolos do futebol como Zico, Raí, Basílio, Petkovic e Roberto Dinamite têm um compromisso com a educação brasileira. Junto com atletas de outras modalidades, ativistas sociais e autoridades públicas, eles vão participar do lançamento nacional da iniciativa mundial “1Gol: Educação para todos”.

Trata-se de uma parceria entre a CGE (Campanha Global pela Educação) e a Fifa para pressionar governos a cumprirem as metas do Tratado Educação para Todos (EPT, Unesco, Dakar/Senegal, 2000) e garantir que todas as crianças do planeta tenham acesso à educação até 2015.

Estima-se que 72 milhões de crianças com idade para cursar as séries iniciais do ensino fundamental estão fora da escola em todo o mundo. Sem um comprometimento efetivo e sem investimentos adequados por parte dos governos e de doadores internacionais, 56 milhões de crianças ainda poderão estar excluídas da educação em 2015, quando a meta do EPT seria universalizar o ensino primário.

No Brasil, apenas 18% das crianças de zero a três anos de idade estão matriculadas em creches, quando a meta do PNE (Plano Nacional de Educação) era chegar aos 50% em 2010. A taxa de analfabetismo entre a população de mais de 15 anos de idade é de 10% (a meta era zerar esse índice até 2010).

No quesito qualidade, a situação também é crítica. De cada 100 alunos da 8ª série que fizeram o Prova Brasil em 2007, apenas 20 tiveram desempenho satisfatório em Língua Portuguesa e somente 14 em Matemática.

“O objetivo é aproveitar a comoção gerada pela Copa e mobilizar o mundo pela educação. Importantes ídolos estão conosco. Queremos mobilizar mais de 30 milhões de cidadãos em uma inédita petição on-line, via site www.marque1gol.orb.br”, afirma Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação e diretor da Campanha Global pela Educação.

1Gol brasileiro – No Brasil, o “1Gol: Educação para todos” é coordenado pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação, que também integra o grupo gestor da iniciativa em nível internacional. Aqui, o 1Gol tem o apoio da organização sem fins lucrativos ActionAid, da Unesco, do Unicef, do movimento Todos pela Educação, da associação Atletas pela Cidadania e da Vivo. O Governo do Estado do Rio de Janeiro apoia o evento de lançamento.

A ideia é aproveitar a proximidade da Copa do Mundo para formar uma rede de apoio à causa, que já soma mais de 60 países e diversas personalidades do esporte, da música e do cinema, além de autoridades públicas.
No exterior, jogadores como Zinedine Zidane, Cristiano Ronaldo, Thierry Henry, Michael Owen e Eto’o defendem a campanha. Grandes clubes brasileiros, como Flamengo, Fluminense, Botafogo, Vasco, Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo também já aderiram à iniciativa. Sócrates, Zico, Júnior, Petkovic, Basílio, Raí, Rivellino e Rogério Ceni, entre outros, gravaram depoimentos para o vídeo oficial, que será divulgado no dia 31.
Petição virtual – A meta da iniciativa é atingir pelo menos 30 milhões de assinatura em todo o mundo, sendo um milhão no Brasil, por meio de abaixo-assinado virtual no endereço http://www.marque1gol.org.br/.
Para o Brasil, alguns dos pontos reivindicados são a efetivação da lei do piso salarial para os profissionais do magistério (nº 11738/2008), que tem sua constitucionalidade contestada por cinco governos estaduais; e mais investimento e melhor gestão e controle social dos recursos da educação.
Em 2008, o país investiu 4,7 % do PIB (Produto Interno Bruto) na área; o padrão em países desenvolvidos é de 6,2%. A África do Sul, sede da próxima Copa, investe esse patamar.
Engajamento pelo celular – Com o apoio da operadora de telefonia celular Vivo, será possível assinar a petição via sistema WAP. (Diones Soares – 1gol@campanhaeducacao.org.br)

Caratecas de Parauapebas conquistam terceiro lugar no Recife

Fotos: Carlos Campos




Os atletas de caratê de Parauapebas continuam representando muito bem o Estado do Pará e o município. Desta vez, no roteiro dos campeões a cidade do Recife (PE), que foi palco do Campeonato Norte e Nordeste de Karatê, no período de 21 a 23 de maio.
A equipe parauapebense foi ao Nordeste representada pelas associações Ramos, Girão, Oyama e Instituto Samurai Zen, afiliadas à Liga Esportiva Paraense de Artes Marciais (Lepam), representada pelo presidente da entidade, Antonio Pereira, e o diretor técnico, Sebastião Ramos, ambos de Parauapebas.
As associações participaram da competição nas categorias de 6 a 47 anos, com 43 atletas do município. A equipe conquistou 50 medalhas nas modalidades katá, kumitê e individual, masculino e feminino, sendo 12 de ouro, 14 de prata e 24 medalhas de bronze.
A boa atuação dos nossos competidores rendeu-lhes um ótimo terceiro lugar no placar geral, muito comemorado entre os atletas, que mais uma vez superaram os atletas da capital paraense.
Além do voo alto que o grupo alçou em mais este desafio, alunos e professores também comemoram o compromisso que o Governo Municipal vem mantendo com o esporte.
A viagem dos campeões aconteceu graças ao apoio da Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel), que sempre se tem feito presente, colaborando com todas as modalidades esportivas da cidade. (Carlos Campos)

Usuários do Santo Daime defendem resolução do Conad

Brasília - As linhas tradicionais do Santo Daime apóiam a resolução do Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (Conad), que define normas para o uso da ayahuasca – chá usado em rituais religiosos.

Para as organizações União do Vegetal e Alto Santo, a resolução pode coibir a ação de grupos que fazem uso inadequado da substância. A resolução do Conad determina que a ayahuasca só pode ser ministrada em locais registrados. É proibida a associação do chá com outras substâncias, assim como o comércio das raízes e folhas usados para a produção do chá.

Segundo Flávio Mesquita da Silva, presidente da União do Vegetal, é função do estado, e não das organizações religiosas, impedir abusos na utilização da ayahuasca. “O governo é quem deve estabelecer formas de controle. Compete ao estado restringir o mau uso”, disse. Para Antonio Alves, representante da organização Alto Santo, a aplicação inadequada do chá se deve à expansão rápida do Santo Daime, a partir da década de 1970.

O presidente da Federação Nacional da Ayahuasca, Emiliano Dias Linhares, criticou a banalização do daime, denunciando que alguns grupos ministram o chá misturado com substâncias ilícitas. “Pessoas usam a ayahuasca com maconha, cocaína e crack. Chamam de Santa Maria, Santa Clara e de São Pedro. É preciso abolir o comércio do Santo Daime”, afirmou.

Para o general Paulo Roberto Uchôa, secretário-executivo do Conad, o direito constitucional à liberdade de culto assegura o uso religioso da ayahuasca no Brasil. “O chá está inserido na realidade cultural do país, sem prejuízo social reconhecido”, afirmou.

O tema foi discutido esta semana em audiência pública na Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados. O deputado federal Pedro Wilson (PT-GO) foi um dos autores do requerimento para a realização do debate.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Na revista Veja desta semana


MST ocupa estacionamentos de casas bancárias em Parauapebas

Fotos: Waldyr Silva












Manifestantes ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) ocupam desde as primeiras horas desta quarta-feira (26) os estaciomentos que ficam em frente às agências bancárias do Bradesco e do Banco do Brasil, no bairro Cidade Nova, em Parauapebas.
De acordo com faixas fixadas no local, os manifestantes exigem que suas dívidas contraídas nas casas de créditos sejam anistiadas e que novos créditos sejam liberados.
Os membros do MST estão acampados nos estacionamentos em tendas montadas e fazendo churrasco com carne bovina.
Procurado pelo blog, nenhum manifestante quis falar, sob a alegação de que só podiam falar os coordenadores do movimento, que não se encontravam no momento no local.

Prefeito convoca 303 candidatos aprovados em concurso público

O prefeito Darci José Lermen, em várias portarias publicadas no Diário Oficial do Estado do Pará desta quarta-feira (26), nomeia mais 303 candidatos aprovados em concurso público da Prefeitura de Parauapebas realizado no final do ano passado.

São 180 servidores para o cargo de auxiliar administrativo, um para desenhista projetista, três para o cargo de fiscal de controle ambiental, seis para fiscal de urbanismo, um para fiscal de vigilância sanitária, 26 para o cargo de técnico administrativo, quatro para técnico agrícola e 82 servidores para técnico de enfermagem.

Confira relação completa aqui.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Deu em O Globo

Dilma levou maquiadora para Nova York
O PT paga. Essas palavrinhas mágicas têm aberto um mundo de gastos na pré-campanha da petista Dilma Rousseff. Às despesas com jatinhos, casas no Lago Sul, equipe completa de assessores, fonoaudióloga, assessora de imagem e novo guarda-roupa, se somam o salário e gastos para que a maquiadora Rose Paz acompanhe Dilma, retocando sua maquiagem várias vezes ao dia.

Para garantir a manutenção do look criado pelo cabeleireiro e maquiador Celso Kamura, "a la Carolina Herrera", na passagem da petista por Nova York, o PT pagou cerca de R$ 12.800 pela viagem e pela hospedagem de Rose Paz no luxuoso hotel Four Seasons por quatro dias.

Segundo a assessoria de Dilma, Rose é assessora pessoal da candidata e a acompanha em todas as viagens. Em Nova York, ela teve o mesmo status da assessora de imprensa e do assessor particular. Também acompanharam a candidata o deputado federal Antonio Palocci (PT-SP) e a ex-prefeita Marta Suplicy.

Autor do novo look de Dilma, Celso Kamura revela que foi contratado pelo marqueteiro João Santana para fazer dobradinha com Rose Paz. Ele cuidará da orientação geral e fará tratamento especial quando precisar, como gravações da TV. Nas viagens e em Brasília, caberá a Rose Paz a manutenção. Ele disse estar encabulado com o sucesso da imagem de Dilma e que, em Nova York, Rose fez o trabalho direitinho:

"Menina, que bafo é esse? Quando a gente corta o cabelo de uma atriz, tem repercussão, mas com a Dilma está demais! Não imaginei o sucesso. A gente não inventou nada, não ficou uma coisa extreme makeover. Dilma é uma mulher que visualmente, esteticamente, se encontrou. Criei o look, e a Rose mantém, porque ela (a candidata) é fotografada a toda hora, não pode descuidar". (Maria Lima)

Multas


segunda-feira, 24 de maio de 2010

Fazenda do pecuarista Alessandro Camilo deve ser vasculhada

Se depender da disposição do delegado André Luiz Nunes Albuquerque, a fazenda Boa Sorte, em Parauapebas, pertencente ao pecuarista Alessandro Camilo de Lima, o “Macarrão”, 35 anos, deve ser, em breve, vasculhada.

Para esta missão, agentes da Delegacia de Conflitos Agrários de Marabá (Deca) devem auxiliar nas buscas por se tratar de área de fazenda, assim como cães farejadores e até mesmo militares do Corpo de Bombeiros.

O pecuarista é apontado como um dos autores do desaparecimento da comerciária Ana Karina Guimarães, 19, que no dia 10 de maio sumiu repentinamente de Parauapebas, grávida de nove meses, cujo pai seria Alessandro. Ela foi vista entrando numa camionete dele e desde então nunca mais deu notícias a parentes e amigos.

Na semana passada, houve várias manifestações em Parauapebas onde as pessoas cobram da Justiça esclarecimento deste caso, que enseja diversos comentários em todos os cantos da cidade.

Alessandro Camilo de Lima, por conta do suposto envolvimento, teve a prisão preventiva decretada e atualmente está preso e nega qualquer envolvimento neste caso.

Porém, muitas perguntas precisam ser respondidas. Entre elas, o que levaria uma mulher jovem, saudável e grávida sumir e não fornecer nenhum tipo de informação ou notícias a parentes e amigos, se estava totalmente satisfeita com a gravidez?

Preventiva – O caso está sendo investigado pelo delegado André Luis, que no dia 19 protocolou pedido de prisão preventiva contra a noiva do pecuarista, Graziela Barros de Almeida, que também sumiu de forma misteriosa da cidade. A polícia suspeita que ela tenha algum envolvimento com o desaparecimento da comerciária.

Por sua vez, a mãe de Ana Karina, Maria Iris Guimarães, informou à imprensa de Parauapebas que deve recorrer a todas as raias da Justiça, a fim de esclarecer o que de fato aconteceu com a filha dela, inclusive citou que está inclinada a procurar ajuda do promotor paulista Francisco Cembranelli, que atuou no caso da morte da menina Isabela Nardoni.

“Vou onde for preciso para ver esse caso esclarecido. Quero a minha filha de volta, viva ou morta, para que possa fazer um sepultamento decente”, sentencia, reafirmando também que a Justiça puna os envolvidos no caso. “Quero justiça e que os culpados sejam punidos”, afirma. (Edinaldo Sousa)

Câmara dos Deputados aprecia proposta que regulamenta internet

Brasília - O Ministério da Justiça deve enviar ao Congresso Nacional ainda neste semestre o projeto que cria o Marco Civil da Internet. Após mais de 15 anos em uso no Brasil, a internet não possui normas que regulamentem o acesso. A proposta visa definir regras específicas para o uso da internet no país.

Para o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), o objetivo do projeto não é criminalizar nem restringir direitos, mas estabelecer normas a partir dos direitos fundamentais estabelecidos pela Constituição. “Alguns países começam a discutir a internet na ótica da criminalização. Nós invertemos essa ordem. O Marco Civil estabelece uma série de direitos e, ao estabelecer esses direitos, o Brasil sai à frente com uma legislação moderna para esse setor, dentro dos princípios constitucionais”, explica.

O parlamentar lembra que o projeto é fruto da rejeição da sociedade ao PL do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), que, entre outros pontos, previa o controle do acesso à internet. Teixeira lembra ainda que o governo abriu o debate sobre o marco regulatório, ao criar o mecanismo de participação da sociedade a partir da consulta pública.

“A participação dos inúmeros segmentos da sociedade é importante para a composição final do documento. Portanto, o projeto será o resultado de uma ampla participação e consenso”, disse.

O também deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG) é da mesma opinião, ao avaliar que a proposta deve levar em conta as contribuições das organizações e da sociedade. “É uma matéria que requer debate detalhado e ampliado. O governo deu o primeiro passo ao abrir a discussão e coletar sugestões da sociedade. Essas contribuições devem potencializar os pontos positivos da internet. Dessa forma, é possível ter de fato uma regulamentação que atenda aos interesses de todos os setores”.

O texto está sendo elaborado pelo Ministério da Justiça, em parceria com o Centro de Tecnologia e Sociedade da Fundação Getúlio Vargas (CTS-FGV). Os ajustes finais ao projeto do Marco Civil devem ser concluídos nos próximos dias.

Começam a ser construídos imóveis do ‘Minha casa, minha vida’

Fotos: Francesco Costa



Acompanhado da juíza Eline Salgado, o secretário municipal de Habitação, Antonio Neto, visitou na última semana as obras onde começam a ser construídas as primeiras 1.000 casas do projeto "Minha casa, minha vida", no bairro dos Minérios.

A expectativa é de um bairro planejado, com luz, água e uma mini-estação de tratamento de esgoto, tudo para a comodidade e bem-estar da população que irá residir neste conjunto habitacional.

O programa dispõe de 40 milhões de reais para atender ao déficit habitacional, que será investido em uma área de 99 hectares. As pessoas beneficiadas com o projeto contarão com ruas pavimentadas, área social, onde será um espaço de lazer e área ambiental, uma preservação ao meio ambiente no meio do loteamento.

"São residências de cunho social, em uma área de 40 m², com sala, cozinha, 2 quartos, banheiro, área de serviço e um projeto de ampliação, que permite o proprietário transformar em 4 quartos, tudo para valorizar", explica Guaçu Noé Pintos da Silva, engenheiro responsável pela obra.

Após o processo de triagem, as famílias foram divididas em grupos classificados de acordo com a renda, sendo distribuídos da seguinte forma: primeiro grupo (prioritário) - famílias que recebem entre 0 a 3 salários mínimos; segundo grupo - rendimentos entre 3 e 6; e o terceiro grupo com renda de 6 a 10 salários mínimos.

Nesta primeira fase, as famílias classificadas no primeiro grupo serão atendidas, sem restrição cadastral, como Serasa ou SPC, e terão uma forma de pagamento mais flexível. "Além do benefício social, o projeto irá fomentar a economia em nosso município", disse Antonio Neto, secretário de Habitação, visto que os materiais de construção serão adquiridos em Parauapebas e a mão-de-obra de 500 trabalhadores será local.

De acordo ainda com Antonio Neto, a meta é entregar estas casas em janeiro do próximo ano. (Cristhianne Cardoso)

domingo, 23 de maio de 2010

'Dilma é favorita, mas [isso] só não basta para ganhar'

Do blog de Ricardo Noblat

Entrevista com o sociólogo Marcos Coimbra (foto), presidente do Instituto Vox Populi de pesquisas.

Ricardo Noblat - Boa tarde, Marcos Coimbra. Quem tem mais chances de se eleger presidente da República em outubro próximo?
Marcos Coimbra - Boa tarde, Noblat. Dilma é favorita, mas favoritismo não basta para ganhar uma eleição.
RN - Por que você considera Dilma favorita?
MC - Ela empatou com Serra e tem um espaço de crescimento aberto à frente junto ao eleitorado que está disposto a votar na candidata do Lula.
RN - Isso é suficiente para que Dilma se eleja? Serra não tem espaço para crescer?
MC - Serra é conhecido por 80% da população. Tem menos espaço para crescer. Dilma tem crescido tirando intenções de voto dele.
RN - A essa altura, quantos por cento das intenções de voto de Dilma resultam de transferência feita por Lula?
MC - Dilma é a candidata dele, de continuidade do que ele representa. Nesse sentido, toda a intenção de voto que tem vem de Lula e do governo.
RN - Dilma corre o risco de o eleitor, a certa altura, concluir que votar nela não significa votar em Lula, não é a mesma coisa?
MC - Claro que não é, e o eleitor sabe disso. Quem pensa em votar nela não acha que Lula vai mandar, mas acha que ela preservará o que ele fez.
RN - Se os votos de Dilma não são dela, mas de Lula e do governo, o candidato poderia ter sido qualquer outro bom auxiliar de Lula. Ou não?
MC - Me parece que sim, mas Lula deve ter tido razões para preferi-la. Seu papel no governo, seu perfil técnico, sua identificação com ele.
RN - Pelos seus cálculos, quantos por cento a mais de votos Lula ainda poderá repassar para Dilma?
MC - Há ainda cerca de 40% do eleitorado que conhecem mal ou não conhecem Dilma. Ela pode crescer mais 20 pontos nesse segmento.
RN - Fernando Henrique Cardoso tira votos de Serra? Ou freia seu crescimento? Há algum tipo de cálculo a esse respeito?
MC - A imagem de FHC é negativa e a maioria das pessoas acha que o governo dele foi muito pior do que o de Lula. Isso é ruim para Serra.
RN - Por que Dilma cresceu tanto em maio? Exposição em programas partidários na TV? Companhia de Lula no programa do PT? Ou cresceria de todo jeito?
MC - Todas as opções estão corretas. A propaganda do partido ajudou, Lula também, e ela estava em crescimento lento, mas firme.
RN - Em junho, Serra terá muito espaço nos programas de TV de partidos. Automaticamente ele crescerá?
MC - Serra é muito conhecido, o que limita essa hipótese. Mas deve melhorar, nem que seja por sustar o crescimento natural de Dilma.
RN - Lula já foi multado 4 vezes por fazer propaganda de Dilma antes do tempo. Faz mais de 1 ano que ele está em campanha por ela. Isso não a ajudou?
MC - Mais que ajudou, é a explicação de tudo. Ele antecipou a campanha, todo mundo entrou em campo e ele teve tempo para apresentar sua candidata.
RN - Todo mundo, não. Serra não entrou. E ninguém dispunha do grau de exposição de Lula e de Dilma.
MC - Desde 2009, todos os programas partidários foram eleitorais: PT, PSB e PSDB. Quanto à demora de Serra, a decisão foi dele e só dele.
RN - Serra tem um "teto" de votos que dificilmente ultrapassará? Qual seria?
MC - Serra tem um piso alto e um teto limitado pelo tipo de eleição que fazemos, onde o eleitor se pronuncia sobre políticas e governos e não sobre biografias.
RN - E o teto de Dilma e de Marina Silva?
MC - O teto de Dilma é o desejo de continuidade, que é muito alto. Marina corre o risco de ficar espremida entre os dois grandes e não conseguir crescer.
RN - O que Serra precisaria fazer para driblar esse quadro desfavorável e ganhar? Ou não tem como?
MC - Trazer a eleição para o campo dele, o da comparação de currículos. Torcer para que Dilma erre muito. Mas sua posição é desvantajosa.
RN - Aécio de vice poderia ajudar Serra a se eleger ou não acrescentaria grande coisa?
MC - Aécio só é bem conhecido em Minas Gerais, onde Lula é muito querido. Serra está bem e é dificil avaliar se um ganho em Minas faria diferença.
RN - Não dá para avaliar se um ganho em Minas faria diferença para Serra? Ou você prefere não avaliar?
MC - Minas é 11% do eleitorado. Aumentar 20 pontos no estado é 2% no total do país. Pode ser muito pouco no resultado final.
RN - Por que a história registra erros tão clamorosos cometidos por institutos de pesquisa?
MC - Os erros existem e todos nós procuramos reduzi-los ao mínimo. Mas os institutos brasileiros estão entre os que mais acertam no mundo.
RN - É certo que institutos pesquisem ao mesmo tempo para partidos e meios de comunicação?
MC - É nossa tradição, mas é natural que seja discutida. Pode ser um dos itens a tratar na reforma política que aguardamos.
RN - Montenegro, presidente do Ibope, disse a Veja no ano passado que a eleição de Serra era segura. Era na época ou ele estava errado?
MC - Acho que seria melhor perguntar isso a ele.

I Encontro Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo

Brasília - De 25 a 27 de maio, representantes do governo federal, de organizações de empregadores e da sociedade civil se reúnem em Brasília no I Encontro Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo para debater um tema que, em pleno século XXI, ainda preocupa o Brasil.

Promovido pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, pela Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), o encontro reunirá especialistas para discutir as formas de combate a esta grave violação dos direitos humanos.

A abertura do Encontro, na terça-feira (25), às 19 horas,no auditório principal da Procuradoria Geral da República, terá a presença dos ministros Paulo Vannuchi, dos Direitos Humanos; Carlos Lupi, do Trabalho e Emprego; Guilherme Cassel, do Desenvolvimento Agrário; e Wagner Rossi, da Agricultura e Pecuária, além do diretor da Organização Internacional do Trabalho para a América Latina e o Caribe, Jean Maninat. Os atores Wagner Moura, Leonardo Vieira e Vic Militello atuarão como mestres de cerimônia.

Além das discussões técnicas de temas como “Por que o trabalho escravo persiste?”, “O papel do Congresso Nacional no combate ao trabalho escravo”, “Trabalho escravo e responsabilidade empresarial”, dois atos deverão marcar o Encontro.

No dia 26, às 13 horas, haverá uma audiência na Câmara dos Deputados para a entrega de um abaixo-assinado pedindo a urgente aprovação da Proposta de Emenda Constitucional 438/2001, que prevê o confisco de terras de quem utilizou trabalho escravo.

No dia 27, os participantes do evento deverão realizar um ato público no gramado em frente ao Congresso Nacional, pedindo a aprovação da chamada “PEC do Trabalho Escravo”, marcado para as 14h30.

Apesar dos avanços no combate ao trabalho escravo serem reconhecidos por entidades internacionais, como a OIT, o problema ainda persiste no Brasil e em importantes setores econômicos.

Desde o início das operações do grupo móvel de fiscalização do governo federal, em 1995, mais de 36 mil trabalhadores foram libertados dessa condição em todo o país.

Mais informações
Leonardo Sakamoto, ONG Repórter Brasil: sakamoto@reporterbrasil.com.br (11) 2506-6570 e (11) 9713-9700; Severino Goes, OIT: goes@oitbrasil.org.br (61) 9981-2187 e (61) 2106-4634; Vanice Cioccari, SDH/Presidência da República: vanice.cioccari@sedh.gov.br (61) 2025-3976 e (61) 9304-0021; Verena Glass/Centro de Monitoramento de Agrocombustíveis; www.reporterbrasil.org.br / (11) 2506-6562

Águia é campeão do 2° turno da Taça Estado do Pará



O Águia de Marabá venceu o Remo por 2 a 0 neste domingo (23) e vai decidir o campeonato com o Paysandu. Além de ser o campeão do segundo turno, o time marabaense garantiu vaga na Copa do Brasil de 2011.

O Águia abriu o placar aos cinco minutos do primeiro tempo, com Soares cobrando escanteio e Samuel Lopes marcando para o time. O segundo gol foi aos 7 minutos do segundo tempo. Um golaço de Vitor Ferraz, que passou por toda a defesa e tocou na saída de Adriano.

O jogo aconteceu no estádio Zinho Oliveira, em Marabá.

Ficha técnica
O Remo entrou em campo com Adriano, Levy, San, Raul, Marlon, Danilo, Didão, Gian, Velber, Landu e Marciano. Já o time do Águia contou com Inácio, Ari, Bernardo, Charles, Vitor Ferraz, Daniel, Diego Biro, Soares, Aldivan, Wando e Samuel Lopes.

sábado, 22 de maio de 2010

Site do Exército publica versão polêmica sobre golpe de 64

O Exército reescreveu a História do Brasil. Sua página na internet afirma que o golpe militar de 1964 foi uma opção pela democracia. “Eufórico, o povo vibrou nas ruas com a prevalência da democracia”, lê-se em um dos capítulos da sinopse histórica do Exército, intitulado Antecedentes e Revolução Democrática de 1964. O mesmo capítulo diz que “os recentes fatos da história contemporânea demonstraram que o povo brasileiro estava certo quando, na década de 60, optou pela democracia”.

A Agência Estado questionou o Comando do Exército sobre que fatos seriam esses. A resposta, por escrito: “A queda do Muro de Berlim e suas consequências, por exemplo”. A queda do muro, que abriu caminho à reunificação da Alemanha e representou o colapso do comunismo, aconteceu em 1989, quatro anos depois do fim do regime militar no Brasil.

Em outra resposta igualmente curta, a Força afirmou que “diversos historiadores no âmbito do próprio Exército foram responsáveis pelo texto”.

O site do Exército ilustra a sua versão desse período da história com fotos do comício da Central do Brasil, no Rio de Janeiro, liderado pelo então presidente João Goulart, e da Marcha Família com Deus pela Liberdade. Ao lado da primeira foto, uma legenda afirma que, no comício de Jango, “ficou claro que as reformas de base seriam feitas na lei ou na marra”.

A versão do Exército contrasta com o livro Direito à memória e à verdade, editado pela Presidência da República em 2007. “Calcula-se que cerca de 50 mil pessoas teriam sido detidas somente nos primeiros meses da ditadura”, diz um dos trechos do livro.

O tema ainda é polêmico no governo, como mostrou a recente crise provocada pelo Programa Nacional de Direitos Humanos. Na semana passada, um novo decreto do presidente Lula retirou do texto expressões como “repressão ditatorial” e “perseguidos políticos”. Antes, Lula já havia concordado em criar a Comissão da Verdade não mais com foco na apuração de casos de violação aos direitos humanos durante o regime militar, mas num período mais longo da história do país, de quatro décadas. (AE)


Datafolha: Dilma Rousseff cresce 7% e José Serra cai 5%

Seguindo a tendência de outras pesquisas, que indicam crescimento da pré-candidata petista Dilma Rousseff (foto) - de acordo com pesquisa do Instituto Vox Populi do último dia 15, na pesquisa estimulada, Dilma teria 38% das intenções de voto e Serra, 35% -, a pesquisa da Datafolha deste sábado (22/05) mostra os dois candidatos empatados em 37%.
A coincidência entre as duas pesquisas é o crescimento das intenções de voto para a ex-ministra petista e a queda de pontos percentuais do pré-candidato tucano.
A pesquisa Datafolha foi realizada na quinta e sexta-feira (20 e 21/05), com 2.660 entrevistados. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. A pré-candidata Marina Silva (PV) segue em terceiro lugar, com 12%. A pesquisa apontou que 5% dos pesquisados votariam em branco, nulo ou em nenhum candidato. Os indecisos somam 9% e a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.
Dilma cresce, Serra diminui
A alta de sete pontos percentuais é em relação à pesquisa Datafolha de 15 e 16 de abril - quando Dilma aparecia com 30% das intenções de voto. No mesmo período, Serra perdeu cinco pontos percentuais, já que estava com 42%, e Marina manteve a pontuação.
Na pesquisa espontânea, quando os candidatos não são apresentados, Dilma também cresceu. Em dezembro, ela tinha 8%, crescendo para 13% em abril e agora está isolada em 19% em primeiro lugar. José Serra tem 14%. Na mesma pesquisa, 5% dizem votar em Lula, que não pode ser candidato. Outros 3% afirmam votar no "candidato do Lula" e 1% no "candidato do PT". Por isso, virtualmente Dilma teria 28% na espontânea.
Rejeição é maior para tucano
Em relação ao índice de rejeição, Dilma Rousseff também conseguiu um boa pontuação. O índice caiu de 24% para 20%. A rejeição de Marina Silva também reduziu de 20% para 14%. Já o tucano José Serra teve alta na rejeição de 24% para 27%.
O único empate técnico que aparece na pesquisa é em relação ao segundo turno. A candidata do PT tem 46% e o candidato do PSDB tem 45%. Na última pesquisa, Serra estava dez pontos à frente, com 50%, contra os 40% de Dilma.
Programa de TV
Para o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, o principal fato que pode ser apontado como responsável por essa alta da candidata é o programa partidário de TV que o PT apresentou recentemente. A identificação da pré-candidata com o presidente Lula foi bem explorada pelo programa petista e de fato parece ter surtido efeito.
Outros fatores importantes de serem considerados entre as duas pesquisas são a desistência do PSB em lançar Ciro Gomes à presidência e a definição do governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), que não será mesmo candidato a vice na chapa tucana. Segundo a Vox Populi, Minas Gerais foi um dos estados onde cresceu a intenção de votos na pré-candidata do PT.
Entretanto, o que a pesquisa da Datafolha ainda não divulgou foi o seu detalhamento, que deverá ser publicado nos próximos dias, indicando onde Dilma cresceu e Serra caiu. A pesquisa do Vox Populi, da semana anterior, trazia o crescimento de Dilma entre as mulheres e nas regiões Sul e Sudeste. (Luana Bonone, com agências)

Filme sobre Sarney custou R$ 650 mil aos cofres públicos

Ao gastar R$ 650 mil do dinheiro público para realizar o documentário “José Sarney, um nome na história”, a intenção da produtora FBL Criação e Produção era “preservar a memória” do país, segundo a diretora da empresa, Rozane Braga.

Com 70 minutos, o filme foi exibido pela TV Senado em 24.abr.2010, quando o presidente do Senado e ex-presidente da República, José Sarney (PMDB-AP), completou 80 anos.

O vídeo alterna longo depoimento do próprio Sarney com falas menores de sua filha e governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB-MA), do senador Marco Maciel (DEM-PE), do poeta Ferreira Gullar e outros entrevistados.

De acordo com o repórter do UOL Fábio Brandt, a produção foi beneficiada pela Lei Rouanet de incentivo à cultura.

O custo do filme equivale ao que a Eletrobrás, a Vale e a Nextel não pagaram em impostos por incentivar a realização da biografia audiovisual de Sarney.

Desde 6.mar.2008, o presidente da estatal Eletrobrás é Antônio Muniz Lopes, que assumiu o cargo com apoio de Sarney... (Fernando Rodrigues). Leia mais aqui.

Academia de Letras empossa novos membros em Parauapebas



A diretoria da Academia de Letras do Sul e Sudeste Paraense, com sede em Marabá, empossa no próximo dia 29, às 20 horas, no Centro Universitário de Parauapebas (Ceup), seis novos membros da instituição.

Como membros efetivos, tomam posse Marquinho Leal (de Marabá), na cadeira nº 13 (que tem como patrono Clarice Lispector); e Helena Dalva Barreto (Eldorado do Carajás), na cadeira nº 14 (patrono José Mauro de Vasconcelos).

Como membros honorários, serão empossados Manoel Nunes dos Reis (Eldorado do Carajás) e Mascarenhas Carvalho (Marabá), enquanto que como correspondentes tomam posse José da Silva Brandão (Taguatinga-DF) e Boleslaw Dorozewski (Araguatins-TO).

Carl Bernstein: 'A busca da verdade depende da boa reportagem'

Interessante entrevista do jornalista Carl Bernstein na Revista Época.
O nome de Carl Bernstein estará sempre associado a um dos episódios mais gloriosos da história da imprensa mundial. Com o colega Bob Woodward, Bernstein foi o responsável pela cobertura do caso Watergate para o jornal The Washington Post. Watergate revelou crimes cometidos dentro da Casa Branca, derrubou Richard Nixon da presidência dos Estados Unidos, e Bernstein e Woodward viraram ícones do jornalismo. Trinta e oito anos depois do escândalo, Bernstein continua no ofício (entre outras atividades, escreve para a revista Vanity Fair) e mantém a preocupação com a preservação da liberdade de reportagem e dos valores do bom jornalismo, num ambiente de mudanças na mídia.

Bernstein participou, no Rio de Janeiro, de um seminário sobre a liberdade de expressão promovido pela Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj), pela Associação Brasileira de Empresas de Rádio e Televisão (Abert) e pela Associação Nacional de Editores de Revistas (Aner). Antes de embarcar para o Brasil, ele conversou com Época.

Quem é: Tem 66 anos e mora em Nova York, EUA. Começou no jornalismo aos 16 anos no jornal Washington Star, que circulava na capital dos Estados Unidos.
Prêmios: Pela cobertura de Watergate, ganhou em 1973 o Prêmio Pulitzer, o mais aclamado da imprensa americana.
O que publicou: Com Bob Woodward, escreveu "Todos os homens do presidente", sobre o caso Watergate. Publicou também biografias do papa João Paulo II e de Hillary Clinton.

Época – O senhor é visto como um símbolo dos tempos heróicos do jornalismo impresso e do poder da imprensa. Por causa da revolução digital e da internet, a mídia impressa vive uma crise, principalmente nos países mais desenvolvidos. Como o senhor vê o futuro da imprensa?

Carl Bernstein – Há muitos lamentos sobre a morte dos jornais, mas sou muito cuidadoso em fazer prognósticos generalizantes sobre o futuro da imprensa. Não há dúvida de que a leitura do jornalismo impresso como conhecemos está diminuindo. Uma razão é porque há uma geração que cresceu pegando as notícias na internet. A internet mudou a forma como nos informamos em todos os aspectos. Aqui nos Estados Unidos, meu sentimento é que alguns jornais vão continuar a prosperar. Podemos ser reduzidos a três ou quatro jornais nacionais, mas com uma audiência maior do que eles tiveram no passado. Mas minha preocupação não é essa, nem com a plataforma pelas quais as notícias serão distribuídas. Minha preocupação se refere ao que devemos fazer para conservar nas novas plataformas os melhores padrões e tradições de reportagem que as grandes instituições jornalísticas conseguiram estabelecer no século XX.

Época – É possível reproduzir o tipo de jornalismo que o senhor fez na cobertura do caso Watergate hoje em dia, nos tempos do jornalismo on-line?

Bernstein – É preciso reconhecer que aquilo que fizemos no caso Watergate – eu, Bob e o The Washington Post – é o mais clássico tipo de reportagem, aquela que busca a mais aproximada versão da verdade. Nós tivemos o luxo de ter uma história e de poder segui-la adiante e a vantagem de trabalhar num jornal que valorizava acima de tudo a precisão e a reportagem dos fatos dentro do contexto certo. A preocupação com esses valores se tornou mais difícil hoje em dia nos Estados Unidos por causa dos cortes nos estafes das redações de jornais e revistas. Ao mesmo tempo, o ambiente para o jornalismo tornou-se mais difícil. Antes, tínhamos os jornais locais, as revistas nacionais e as três redes de televisão aberta. Hoje, há uma proliferação de mídia. Além das TVs a cabo, há milhares de blogs e sites.

Época – O senhor concorda com a opinião de alguns especialistas, para quem a internet pode matar o jornalismo investigativo?

Bernstein – Em geral, a web, como está configurada hoje, não tem os melhores padrões jornalísticos porque ela não investe em reportagem dos fatos dentro do contexto. Eu tenho essa crença de que toda boa reportagem tem de buscar nuances e contexto. Fatos empilhados não são necessariamente a verdade, mas o contexto reflete a verdade. Hoje, o que se lê muito na internet é opinião e até preconceitos políticos ou ideológicos. Dito isso, é preciso dizer que algumas grandes instituições, como o The New York Times, The Washington Post e The Wall Street Journal, têm feito uma transição de sucesso de suas edições para a internet e um jornalismo de alto nível também na web.

Época – O sociólogo americano Paul Starr, da Universidade Princeton, escreveu um ensaio de grande repercussão sobre a ascensão da internet e o fim da era dos jornais, em que ele prevê o aumento da corrupção na sociedade americana por causa da diminuição do poder de fiscalização da imprensa. O senhor partilha esse temor?

Bernstein – Dizer que os jornais impediam, no passado, a corrupção simplesmente não é verdade. É errado glorificarmos demais os velhos tempos. Porque os velhos tempos tinham muito mau o jornalismo também. Grandes reportagens nem sempre eram a regra. É preciso ressaltar que não é função da imprensa derrubar governos. Essa é uma função do povo, dos representantes que ele elege para o Congresso e das instituições. Se um governo caiu no caso Watergate, isso ocorreu porque o sistema e as instituições funcionaram. Se o sistema e as instituições falham no combate à corrupção, isso pode ser um reflexo também de que a sociedade e seus valores podem ter mudado.

Época – O bom jornalismo está relacionado aos valores de uma sociedade?

Bernstein – Não podemos separar o jornalismo da sociedade. A imprensa reflete a cultura de um país, seus valores educacionais e sociais. Muitos dos problemas do jornalismo atual são problemas culturais da sociedade. Constato aqui nos Estados Unidos que a sociedade se tornou menos reflexiva e mais frívola. Então, o jornalismo também se tornou menos reflexivo e mais frívolo. Há uma voracidade por fofocas, sensacionalismo e por respostas rápidas e fáceis para questões difíceis. Ao mesmo tempo, o interesse pela verdade difícil e complexa está decrescendo. Em geral, a verdade não é branca nem preta. Às vezes, ela é. Mas ela frequentemente está numa zona cinzenta.

Época – O que o senhor acha de iniciativas jornalísticas como a ProPublica (fundação criada nos EUA, financiada por patrocinadores privados e sem fins lucrativos que investe em reportagens investigativas e ganhou neste ano o Prêmio Pulitzer, o principal do jornalismo americano)?

Bernstein – Qualquer iniciativa que incentive a boa reportagem é uma boa ideia. Não tenho opinião sobre a sustentatibilidade desses projetos e se eles se transformarão em um modelo no futuro. Digo isso porque, em geral, acredito que qualquer generalização sobre o futuro da imprensa é especulação pouco produtiva.

Época – Como o senhor vê as tentativas de controle da mídia em alguns países da América Latina por governos populistas de esquerda como o de Hugo Chávez, na Venezuela, e o de Cristina Kirchner, na Argentina?

Bernstein – As tentativas de restrição e de cerceamento do trabalho da imprensa e da reportagem livre e honesta são sempre uma coisa terrível. Não importa se elas partem de governos de esquerda ou de direita. A busca da versão mais aproximada da verdade depende de boas reportagens. Não se alcança essa verdade com motivações ideológicas. As restrições à imprensa ocorrem em toda parte. Aconteceram na América Latina, no período das ditaduras militares. Acontecem nos Estados Unidos. O importante é que a imprensa cumpra seu papel e resista a esse cerceamento. No caso Watergate, houve muita pressão contra a publicação de reportagens, mas o Washington Post resistiu.

Época – Como o senhor avalia a atuação da imprensa americana na cobertura da Guerra do Iraque e dos anos Bush na presidência?

Bernstein – Com a exceção de algumas instituições, poucas organizações jornalísticas nos EUA foram suficientemente céticas e desconfiaram das proclamações do governo Bush de que o Iraque escondia armas de destruição de massa. Os repórteres não tinham acesso ao conteúdo dos relatórios de inteligência como tinham os integrantes do governo. Mas faltou contextualizar, com o devido destaque, que o presidente Bush e os homens que o cercavam queriam ir à guerra no Iraque. Avalio, no entanto, que a reportagem da imprensa americana sobre os anos Bush, em muitos aspectos, é brilhante. Quase tudo o que sabemos sobre a incompetência e o caráter desonesto do governo Bush se deve ao trabalho dos jornalistas americanos. (Guilherme Evelin)

sexta-feira, 21 de maio de 2010

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Sem-terra e Incra iniciam acordo

Marabá - Acampados na sede da Superintendência Regional do Incra de Marabá desde a madrugada de terça-feira (18), cerca de 1.300 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) avançaram o diálogo com o órgão fundiário no final da tarde desta quarta-feira (19) e permitiram que os servidores do Incra desempenhem suas atividades normalmente.

Os camponeses ficarão ocupando apenas a área verde da Superintendência. Enquanto isso, uma comissão de trabalhadores rurais vai até Brasília, na próxima terça-feira (25), debater com a representação nacional do Incra.

A principal reivindicação dos membros do MST é que sejam desapropriadas sete fazendas em seis municípios onde há acampamentos dos sem-terra.

A ocupação mais antiga é a fazenda Peruano, onde o MST ocupou no dia 17 de abril de 2004. A situação da propriedade, pertencente ao pecuarista Evandro Liege Chuquia Mutran, ainda está indefinida, embora as famílias de sem-terra já estejam nos lotes.

Na propriedade, o MST alega que houve grilagem e que parte dos 10 mil ha pertence ao estado. Em outras fazendas, dizem que a terra teve a função desviada, entre elas as fazendas Cedro e Maria Bonita, onde os títulos de enfiteuse foram destinados à exploração de castanhais.

São estas e outras dúvidas que o MST pretende passar a limpo durante a negociação. “Enquanto não vierem negociar com os trabalhadores, o Incra continua ocupado”, afirma Gildoberg Costa, da Coordenação Estadual do MST.

Reintegração – A coordenação local do Incra havia peticionado na Justiça Federal de Marabá o pedido de reintegração de posse do prédio e a retirada dos sem-terra do órgão. Assim como manteve contato com representantes do MST, com o intuito de estabelecer diálogo e definir o que pode ser resolvido em âmbito local.

Uma equipe de policiais federais coordenados pelo delegado Antonio Carlos Beaubrun Júnior esteve na quarta-feira (19) pela manhã no prédio e tentou conversar com os sem-terra, para que estes pudessem sair sem que fosse necessário o uso da força, porém não houve acordo. (Edinaldo Sousa)

Pauta do MST ao presidente do Incra
As reivindicações do MST vão além das simples desapropriações. A pauta deve ser apresentada ao presidente nacional do Incra, Rolf Hackbart, que deve desembarcar em Marabá para negociar a desocupação da sede do Incra e providenciar os pleitos dos trabalhadores. Abaixo a íntegra do documento.

“Apresentação do laudo de vistoria do complexo Rio Vermelho: fazendas Nossa Senhora de Fátima, Santa Rosa, Colorado, Brasil Verde e Vera Cruz, do Grupo Quagliato, nos municípios de Xinguara e Sapucaia.

As áreas foram vistoriadas e o Incra não tornou público para os interessados e nem usou como mecanismo para desapropriar as áreas para assentar as 183 famílias do acampamento “João Canuto”, que reivindicam a fazenda desde 8 de março de 2006.

Apresentação do laudo de vistoria do complexo de fazendas São Luís, no município de Canaã dos Carajás, tendo em vista que se trata de terra pública e o Incra se nega a desapropriar a área para assentar as 354 famílias do Acampamento Dina Teixeira que ocupam a área desde agosto de 2008.

Assim como os laudos das vistorias e desapropriações das fazendas Marambaia, Vale do Rio Novo, Nova Aliança, Colorado, São Marcos, Arizona, Chibatas, Aldeia Maria, Serra Norte e Serra Grande, nos municípios de Curionópolis e Parauapebas. Reivindicação de abril de 2008.

Garantir o assentamento das 106 famílias na fazenda Piratininga, nos municípios de Baião, Pacajá e Portel, o que depende do Incra.

E, por último, assentamento imediato das 520 famílias acampadas nas fazendas Cedro, Espírito Santo e Maria Bonita, do grupo Santa Bárbara, em Marabá e Eldorado do Carajás".

Doação de sangue em Parauapebas

Voluntários da Vale se unem à Fundação Hemopa em uma grande Campanha de Doação de Sangue que vai mobilizar moradores de Parauapebas no próximo fim de semana.

Serão montados postos de coleta no sábado (22), no Posto de Saúde do bairro Liberdade (das 8 às 12 h e das 14 às 18 h). No domingo (23), a ação acontece das 8 às 12 h, no Hospital Yutaka Takeda, em Carajás. Informações pelos telefones 3327-5896 e 8158-8450.

Para ser doador, é necessário ter idade entre 18 e 65 anos; peso igual ou superior a 50 kg; ter feito uma refeição leve antes da doação; não ser hipertenso ou hipotenso; não apresentar sintomas de anemia, gripe, febre ou convulsão (epilepsia); não ser portador do vírus da hepatite (depois dos 10 anos), sífilis, doença de chagas, HIV (Aids). Em caso de mulheres, não esteja grávida ou amamentando; não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas doze horas; não ter fumado duas horas antes da doação; não ter feito tatuagem, piercing ou maquiagem definitiva, nos últimos doze meses; não ter realizado cirurgias ou transfusão de sangue nos últimos 12 meses e não ter tido contato sexual com pessoas que tenham comportamento de risco para doenças transmitidas pelo sangue.

Curtas de Marabá

Seringa
Paciente do posto de saúde “Enfermeira Zezinha”, na Folha 23, Nova Marabá, Maria do Socorro Corrente Nascimento, reclamou à Rádio Clube em Marabá que ali não há seringa para que ela possa tomar medicamentos injetáveis. É o fim da picada, literalmente. A imprensa local tentou manter contato com o posto de saúde, através do telefone fixo 3323-5159, porém o telefone só acusava ocupado.

Mudo I
Falando em telefone, quem precisar manter contato com o plantão da Polícia Civil da 21ª Seccional Urbana de Marabá, antiga Delegacia Regional, pelo telefone 3322-1720, não poderá mais fazê-lo, tendo em vista que este prefixo pertence à Sespa.

Mudo II
Assim, o aflito usuário tem de ligar para 3324-1749, cuja atendente encaminha, via rádio, a demanda do usuário. Enquanto isso, os ladrões ditam as regras e fazem o que bem entendem, pois com tanta dificuldade assim praticamente não são molestados. (Edinaldo Sousa, de Marabá)

Turma do programa Inclusão Digital recebe certificados



A primeira turma deste ano do programa Inclusão Digital, desenvolvido pela Prefeitura de Parauapebas, realizou cerimônia de formatura no último sábado (15), na escola Eunice Moreira, de 215 alunos, que receberam certificados dos cursos de informática básica e avançada.

O programa Inclusão Digital é uma marca do Governo Cidadão que atende mais de mil jovens anualmente.

De acordo com o secretário municipal de Assistência Social, Altamiro Borba, o objetivo do programa é levar às pessoas com dificuldades de acesso aos cursos profissionalizantes capacitação que permita conquistar vaga no mercado de trabalho, através do conhecimento de programas de computadores.

Sobre as perspectivas de ampliação do programa, Altamiro informa que está programada a implantação de mais um programa no bairro da Paz, para atender todo aquele complexo.

Os alunos que se formaram participaram do programa e estudaram em turmas distribuídas entre o curso básico de informática, composto pelos programas de Windows, Word, Internet e Excel, além de Introdução ao Processamento de Dados (IPD) e cursos avançados com os seguintes módulos: Office avançado, Corel Draw e Photoshop. Os alunos tiveram aulas dinâmicas e práticas e receberam todo o material didático utilizado no curso gratuitamente.

Durante a cerimônia de entrega dos certificados, os alunos ouviram os pronunciamentos das autoridades presentes e a apresentação musical de Josilene dos Santos Matos, uma das alunas do projeto, que cantou uma canção religiosa em agradecimento a Deus pela realização e conclusão do curso.

Josilene Matos, de 16 anos, faz o segundo ano do ensino médio e afirma que o curso ajudou muito. "Agora me sinto preparada para entrar no mercado de trabalho e também para correr atrás do meu sonho de fazer faculdade", relatou a aluna. Também durante a cerimônia de formatura foram sorteadas entre os alunos presentes uma câmera digital e 10 Pen Drives.

O Programa Inclusão Digital funciona no complexo Altamira, na av. Amsterdam nº 1111, bairro Altamira. Até em 2008, o programa funcionava na Cidade Nova. Em 2009, a prefeitura levou o programa para um bairro que mais necessitava. Hoje, o Inclusão atende a comunidade dos bairros Novo Horizonte, Betânia, Altamira, Vila Rica e Casas Populares I e II.

O coordenador do programa, Aderlan Novaes, informa que já estão abertas as inscrições para a nova etapa do programa. Os interessados devem estar estudando a partir da 6ª série ou ter terminado o ensino médio na rede pública.

Todos devem apresentar cópia de certidão de nascimento ou carteira de identidade e cópia de declaração da escola e precisam ter entre 15 e 21 anos, além de estarem devidamente matriculados na rede pública de ensino. "Serão ofertadas 400 vagas e a primeira turma já começa agora dia 24 de maio", afirma Aderlan Novaes. (Karine Gomes e Deicharles Damascena)

Ficha Limpa

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Senado aprova Ficha Limpa

Brasília - O Senado aprovou nesta quarta-feira (19) o projeto "Ficha limpa", que impede a candidatura de políticos condenados na Justiça em decisão colegiada em processos ainda não concluídos. Foi mantido o texto aprovado na Câmara dos Deputados.

O projeto teve 76 votos a favor, sem votos contrários e abstenções. O presidente do Senado não votou e quatro senadores não compareceram à sessão. O projeto segue agora para a sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

Uma emenda de redação foi acrescentada ao projeto, padronizando expressões no texto. Mesmo com a emenda, que acabou aprovada por 70 votos, também sem votos contrários e abstenções, o projeto não volta à Câmara, porque não altera o mérito, afirmou o senador Demóstenes Torres (DEM-GO).

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), que fez a proposta com o respaldo de mais de 1,6 milhão de assinaturas, acredita ser possível aplicar a nova regra já nas eleições deste ano, se Lula sancionar o projeto até 9 de junho.

O texto aprovado na Câmara e mantido integralmente no Senado pelo relator Demóstenes Torres (DEM-GO) proíbe por oito anos a candidatura de políticos condenados na Justiça em decisão colegiada, mesmo que o trâmite do processo não tenha sido concluído no Judiciário. Esse tipo de decisão colegiada acontece, geralmente, na segunda instância ou no caso de pessoas com foro privilegiado.

O projeto prevê ainda a possibilidade de recurso a órgão colegiado superior para garantir a candidatura. Caso seja concedida a permissão para a candidatura, o processo contra o político ganharia prioridade para a tramitação.

O texto que sai do Congresso é mais flexível do que o proposto pelo movimento. A ideia inicial era proibir a candidatura de todos os condenados em primeira instância. Atualmente, só políticos condenados em última instância, o chamado trânsito em julgado, são impedidos de disputar eleições. (Fonte: http://www.g1.com.br/)

Jornalista é vítima de enfarte no MA

“Entro neste espaço para comunicar a morte de Walter Rodrigues, ontem (segunda-feira, 17) à noite, de enfarte fulminante, em São Luís (MA).

Walter Rodrigues foi um dos maiores patrimônios intelectuais que o Pará cedeu ao Maranhão nos últimos anos. Sua morte tão prematura deixará um vazio nos dois Estados, aos quais serviu com seu jornalismo independente, seu texto saboroso e seu humor inesgotável. Tornou-se uma fonte de referência indispensável sobre a história contemporânea do Maranhão.

Foi uma honra, para mim, ter trabalhado com ele no nosso semanário alternativo de 1975, o Bandeira 3, e tê-lo colocado como correspondente de O Estado de S.Paulo em São Luís. E foi um privilégio ler seus artigos sobre esse vasto e desafiador mundo.

A dor de perdê-lo é muito grande. Espero que os gonçalvinos lhe dêem a despedida de que ele é merecedor, no próprio nome e também em nome dos paraenses.”

Lúcio Flávio Pinto

Quadro político indefinido no Pará

Existe uma indefinição (política) monstruosa no momento. Além de Ana e Simão, quem mais disputará o Governo do Estado?

O PMDB tem o nome de Jader bem posicionado em todas as pesquisas, e o de Priante, que sempre aparece também muito bem. O PTB lançou Fernando Yamada, que até o momento não veio de viva voz confirmar. O PR diz que Anivaldo Vale é o candidato, mas Anivaldo também ainda não disse que será. E pelo Psol fala-se no nome de Marinor Brito.

Mas a verdade é que definidos até o momento apenas Jatene e Ana.

E esta indefinição dos outros possíveis nomes é que se tornou o assunto da vez, do momento, de todas as rodas políticas.

A grande pergunta é se Jader será candidato ao governo ou ao Senado? Seguida de outras perguntas sobre que rumo vai tomar o PTB, o PR e o DEM.

A verdade é que estas perguntas não serão respondidas facilmente, vai ainda levar um tempo para PR, PTB e DEM se definirem, e isso se deve muito a posição que o PMDB vai tomar.

Enquanto isso, as perguntas serão inevitáveis. Mas as respostas, que é o que interessa, ninguém realmente sabe.

Na real, a posição do PMDB muda muito o jogo. E claro que a posição do PTB, PR e DEM também muda, em escala menor, mas muda.

Por mais problemas que Dudu venha enfrentando, se engana quem acha que ele está morto. Da mesma forma que se engana quem menospreza o tamanho do DEM e do PR.

Ou seja, o quadro eleitoral está indefinido, e vai continuar assim por um tempo. Para o desespero de toda a classe política. (Fonte: Blog do Bacana)

Lançada Revista Mais em Parauapebas

Fotos: José Piedade






Esperada com grande expectativa, foi lançada na última segunda-feira (17) a Revista Mais, com a presença de vários segmentos da imprensa local, empresários e convidados.

Ao apresentar o novo veículo de comunicação à sociedade, o diretor geral da revista, Demerval Moreno, explicou aos presentes que a Revista Mais foi concebida para levar informação e entretenimento à região, com a prestação de serviço de uma equipe de bons profissionais.

Por ocasião da solenidade, que ocorreu na Cia. Paulista de Pizza, foi oferecido um lauto coquetel aos convidados, com música ao vivo.

No final do evento, foram distribuídos exemplares da nova revista aos presentes.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Sem-terra ocupam sede do Incra

Marabá - Cerca de dois mil integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) ocuparam na manhã de segunda-feira (17) a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Marabá.

Os manifestantes exigem que representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), assim como o presidente do Incra, Holf Hackbart, venham a Marabá para negociar a desapropriação e criação de assentamentos das fazendas ocupadas pelos sem-terra nos municípios de Eldorado do Carajás, Canaã dos Carajás, Tucuruí, Marabá, Sapucaia e Tucumã.

A ocupação mais antiga é na fazenda Peruano, onde o MST ocupou no dia 17 de abril de 2004. A situação desta propriedade, pertencente ao pecuarista Evandro Liege Chuquia Mutran, ainda está indefinida, embora as 1,3 mil famílias de sem-terra estejam nos respectivos lotes rurais.

O MST alega que houve grilagem na Peruano e em parte dos 10 mil hectares pertencem ao estado. Em outras fazendas, eles alegam que a terra teve a função desviada, entre elas as fazendas Cedro e Maria Bonita, onde os títulos de enfiteuse foram destinados à exploração de castanhais.

São essas e outras dúvidas que o MST pretende passar a limpo e cobrar de forma contundente que os representantes dos órgãos ligados à reforma agrária venham até Marabá para negociar a desapropriação das áreas.

“Enquanto não vierem negociar com os trabalhadores, o Incra continua ocupado”, prometeu um dos organizadores da ocupação, Gildoberg Costa, 24 anos, na esperança de que ainda esta semana deva ter resposta em relação aos pleitos dos trabalhadores.

Por conta da ocupação, os funcionários do Incra evacuaram a área. Os sem-terra montaram tendas e barracas em todo o interior do prédio. Até esta terça-feira não havia sinais de depredação ou vandalismo.

Em relação à superintendente do órgão, Rosinete Lima, o nome dela sequer foi tocado pelos manifestantes. “As negociações em âmbito local não prosperaram, por isso cobramos a vinda da alta cúpula do Incra para negociar conosco”, completa Gildoberg Costa.

A coordenação local do Incra estava em Brasília, o que inviabilizou o acesso à imprensa. (Edinaldo Sousa)

Fazendas ocupadas
Cedro (Acampamento Helenira Resende) – Marabá
Piratininga – Tucuruí
São Luís (Dina Teixeira) – Canaã dos Carajás
Peruano (Acampamento Lourival Santana) – Eldorado do Carajás
Maria Bonita (Acampamento Dalcídio Jurandir) – Eldorado do Carajás
Rio Vermelho (Acampamento João Canuto) – Sapucaia
Nega Madalena – Tucumã

Comissão especial de PEC dos Jornalistas deve ser instalada

Brasília - Após seis meses de espera, a comissão especial que vai analisar a proposta de emenda à Constituição (PEC 386/2009), do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), pode ser instalada nesta semana. O deputado disse que a garantia da instalação da comissão foi dada a ele pelo presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP).

"Eu e o presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sérgio Murillo, nos reunimos com o Temer na semana passada, e ele se comprometeu a instalar a comissão nesta semana, com qualquer quórum”, disse. O parlamentar declarou ainda que a maioria das lideranças partidárias já fez as indicações dos representantes no colegiado e que falta uma indicação por parte do PMDB e outra do PSDB.

A PEC dos Jornalistas foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) em novembro do ano passado. O projeto estabelece a obrigatoriedade de diploma como requisito para o exercício da profissão de jornalista.

Crianças plantam flores em defesa dos Direitos Humanos

Brasília - Nesta terça-feira (18), Dia Nacional de Combate ao Abuso de Crianças e Adolescentes, cerca de 200 crianças plantaram flores em frente ao Ministério da Justiça. O ato ocorreu durante o lançamento do prêmio "Neide Castanha de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes", em cerimônia no Salão Negro no Palácio da Justiça, às 10 horas.

Na oportunidade, a atriz Elisa Lucinda fez uma apresentação durante a cerimônia, com a participação do ministro da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Paulo Vannuchi, além de representantes da Unicef, OIT, Conanda, entre outros.

O Comitê Nacional de Enfrentamento a Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes é responsável pela realização do prêmio juntamente com a Comissão Intersetorial de Enfrentamento a Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

Serão premiadas as categorias Boas Práticas, Produção de Conhecimento, Cidadania, Protagonismo de Crianças e Adolescentes; e Responsabilidade Social. A premiação ocorrerá durante a mobilização do “18 de Maio” do ano que vem, Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Perfil - Assistente social, Neide Castanho é considerada referência em direitos humanos no país. Um dos seus primeiros trabalhos nesse sentido foi desenvolvido junto às meninas da Sé em São Paulo. Ela também ficou reconhecida por sua atuação na Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou as redes de exploração sexual de crianças e adolescentes em todo o país. Também fez parte da mobilização pela aprovação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Empresas de fora continuam aplicando calote em Parauapebas

Fotos: Bariloche Silva




Ao longo dos últimos anos, muitas empresas de fora de Parauapebas vêm dando calote a comerciantes locais, e isto tem causado revolta e indignação em todos que deram crédito a essas empresas, acreditando ou confiando muitas vezes na mineradora Vale.
Segundo os comerciantes, as empresas que se apresentaram para comprar na praça também usam a Vale para pedir crédito, e o pior, parece não possuir capital de giro próprio, pois esperam pagar as dívidas assumidas na praça com o faturamento que esperam ter dos trabalhos que irão executar para a mineradora.
Na opinião da diretoria da Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas (Acip), isso é inaceitável, pois é fato corriqueiro que qualquer empresa que vai iniciar suas atividades terá que dispor de capital de giro para pelo menos os primeiros três a seis meses, até que suas atividades deslanchem.
“As lojas de boa fé precisam vender, e muitas vezes são iludidas pela lábia e pelo poder aparente. Outros, confiando na Vale, terminam vendendo sem tomar os cuidados necessários de se elaborar um cadastro, exigir cópia do contrato, firmar contrato de prestação de serviços e fornecimento de produto no qual poderiam ficar estabelecidas as condições, forma de pagamento, prazo, circulação de multa, quebra de contrato”, denuncia Manoel Chaves, assessor jurídico da Acip.
Essas colocações explanadas por Manoel Chaves foram entregues num documento ao presidente da Câmara Municipal de Parauapebas para estudar as ideias da Acip, cujo teor evita que os comerciantes locais possam ser prejudicados.
O documento foi entregue durante reunião na Câmara Municipal entre diretores da Acip e os vereadores José Adelson, Odilon Rocha, Faisal Salmen, Euzébio Rodrigues, Wolner Wagner, Israel Miquinha e representantes da mineradora Vale.
Após as colocações de José Rinaldo, atual presidente da Acip, cópias dos documentos foram entregues a todos os participantes, ficando as autoridades responsáveis por estudarem as sugestão e reivindicações, sendo que uma das mais esperadas pelos comerciantes é o “Nada Consta” que seria fornecido pela Acip e exigido pela Vale, pois a Acip entende que iria dar tranquilidade e segurança nas relações comerciais e jurídicas, envolvendo fornecedores e empresas de fora, evitando polêmicas, como os casos da Doppler e Hidelma.
A Acip está elaborando ainda um levantamento de todas empresas de fora que aplicaram calote nos empresários locais. A pedido da Vale, está também desenvolvendo um termo de ocorrência de toda e qualquer denúncia de empresa que esteja devendo a credores locais e no final do mês será elaborado um relatório que será enviado à Vale e ao Ministério Público, para adoção de medidas cabíveis. (Bariloche Silva)

Alessandro Camilo é preso e transferido para Marabá

Depois de prestar o terceiro depoimento à polícia, num prazo de duas semanas, o pecuarista Alessandro Camilo de Lima, conhecido por “Macarrão”, foi preso no início da noite de segunda-feira (17) e na manhã desta terça-feira (18) foi transferido para o quartel da Polícia Militar em Marabá, por medida de segurança.

O pecuarista e detentor da franquia de L’acqua di Fiore em Parauapebas é suspeito de ter tirado a vida da jovem Ana Karina de Matos Guimarães, 29 anos, que residia na rua A nº 302, bairro Cidade Nova, Parauapebas, e que desde a última segunda-feira está desaparecida. Karina está grávida de nove meses, cujo pai seria o acusado.

A prisão preventiva de Alessandro Camilo, por um período de 30 dias, foi solicitada e acatada pela justiça pelo delegado André Albuquerque.

Informações ainda não confirmadas pelo blog dão conta que Alessandro Camilo de Lima estaria envolvido em cinco processos, que vão desde inquérito policial em Parauapebas, Marabá e em Santa Cruz do Rio Pardo (SP).

Saudades de Divino

Comentário de um leitor do blog identificado por Rodrigo

Divino Boca Quente

Divino era pioneiro em Parauapebas, tinha na parede de sua sala, um certificado de honra ao mérito por ter ajudado na emancipação do município. Na época que era proprietário de uma empresa de serviços de mão-de-obra, foi convidado a participar do grupo de empresários do ano. Entre tantos outras, ele recebeu também o certificado de empresário que mais gerou empregos e renda no município. Divino era um empreendedor voltado para o trabalho e com muita determinação construiu um patrimônio. Todo comerciante que tinha Divino como cliente sabe que ele contribuiu muito para o crescimento econômico e no desenvolvimento do comércio na região.

Divino não era um homem comum. Ele conquistou muitos amigos e construiu uma amizade sólida que foi demonstrada até na sua última hora, e era admirado por sua generosidade e coragem.

Pensando no desenvolvimento do município, ele decidiu entrar para política, se candidatando a vereador e depois a prefeito. Foi a primeira pessoa a fazer o projeto de casas populares na intuição de ajudar as classes menos favorecidas, chegando até a construir algumas delas e entregando-as a quem teve o benefício. Mas, infelizmente, seu projeto foi interrompido num ato impensado por reagir a uma provocação.

Divino se entregou à justiça para pagar por seu ato, saindo do convívio da sociedade. Ao receber sua liberdade, voltou para o seio de sua família e amigos, que unidos o receberam de braços abertos.

Trabalhador e pai de quatro filhos, sendo dois, menores de idade, ele estava construindo sua vida com muita determinação em um sítio, tendo seus direitos garantidos pela justiça, mas, infelizmente, seus planos foram interrompidos novamente.

Divino não está mas entre nós, tendo sua vida interrompida por seus inimigos, num ato covarde e brutal, mas eles não conseguiram tirar de Divino o amor e o carinho que a família e os amigos lhe deram em sua vida, carinho que foi demonstrado até o último instante.

SAUDADES!

Rodrigo

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Polícia avança pouco no caso ‘Divino Boca Quente’

A polícia ainda tem poucas pistas a respeito do pistoleiro que matou o também acusado de ser pistoleiro, Valdivino Luiz Antunes, o “Divino Boca Quente”, 53 anos, com três tiros na cabeça, crime ocorrido na última sexta-feira (14) dentro de um açougue, na rua São Francisco, esquina com a rua 24 de Março, bairro da Paz, Parauapebas.

O caso está sendo conduzido pelo próprio diretor da Seccional de Parauapebas, delegado André Luiz Nunes Albuquerque. No domingo (16) pela manhã, a autoridade policial informou que algumas pessoas já foram ouvidas, porém acredita tratar-se de um caso complexo e que pode demandar certo tempo para ser elucidado.

“Divino Boca Quente” tinha fama de ter “pavio curto” e não costumava levar desaforo pra casa. Esteve preso em Marabá por mais de cinco anos, após ter sido condenado pela morte do segurança Vanderlei Oliveira Pereira, 33 anos, no dia 12 de maio de 2000.

André Luiz confirmou que de fato deve pedir apoio do Núcleo de Inteligência da Polícia (NIP), no intuito de tentar esclarecer o que motivou a morte de “Divino Boca Quente”, assim como identificar o autor e possível mandante.

Por enquanto, o delegado não quis inclinar qual linha de investigação deve seguir para tentar esclarecer o caso, pois acredita que a execução seja um labirinto, pois “Divino Boca Quente” tinha vários inimigos e ultimamente estava envolvido em cobranças de dívidas.

Outra linha que pode ser seguida é em relação a conflito agrário. Em 2008, a fazenda dele, a “Deus Dará”, de 280 alqueires, localizada na região de "Serra do Rabo", em Canaã dos Carajás, fora incendiada parcialmente.

“Divino Boca Quente” teria identificado os autores do ato de vandalismo, que seriam Paulo Guilherme Pereira e Osnir Vieira Prado, além de "Binego", "Cicinho de Marabá" e "Matogrosso", este último residente na rua Paraíba nº 170, bairro Liberdade I, em Parauapebas.

“Estamos trabalhando, mas, como é um caso complexo, não podemos adiantar nada por enquanto. Assim que tiver novidades iremos informar”, comenta o delegado, sustentando que algumas pessoas já foram ouvidas e ele deve requisitar a formatação de um retrato falado, a fim de auxiliar na identificação do pistoleiro.

André Luiz, juntamente com investigadores do NIP, tem larga experiência em elucidar casos de pistolagem no sul e sudeste do Pará. Entre outros casos, conseguiram esclarecer as mortes dos vereadores Edson Coelho Lara, morto no dia 5 de novembro de 2005; Gerson Elísio Cristo, assassinado no dia 7 de outubro de 2007; e do sindicalista Domingos Santos da Silva, o “Domingão”, morto no dia 8 de novembro de 2005. (Edinaldo Sousa)