terça-feira, 31 de maio de 2011

Senado aprova plebiscito para criação do Estado de Tapajós

Plebiscito só depende da assinatura do presidente do Senado, José Sarney. Plebiscito sobre a criação de Carajás também foi aprovado

O Senado Federal aprovou nesta terça-feira (31) um plebiscito para decidir sobre a criação do Estado de Tapajós. O Pará seria dividido com a criação do novo Estado de Tapajós, que teria 27 municípios.

Na semana passada, o Congresso já tinha aprovado o plebiscito para decidir sobre a criação do Estado de Carajás, com 39 municípios, também no Pará.

O plebiscito para a criação de Tapajós só depende agora da assinatura do presidente do Senado, José Sarney. Depois da publicação dos projetos, o prazo para a consulta à população é de seis meses. (Portal G1)

PM empossa comandante e forma novos soldados em Parauapebas

Fotos: Waldyr Silva





Numa solenidade com dois eventos, o subcomandante geral da Polícia Militar no Estado do Pará, coronel Carlos Augusto Oliveira da Silva, deu posse na manhã desta segunda-feira (30) ao novo comandante do 23º Batalhão da Polícia Militar em Parauapebas e apresentou 42 novos praças que concluíram o Curso de Formação de Soldados da Polícia Militar do Pará.

O novo comandante do quartel da PM em Parauapebas é o tenente-coronel Roberto Coracy Santos da Silva, que substitui o major Juniso Honorato e Silva, que agora assume o subcomando da corporação local.

Dos 42 novos soldados que entram para os quadros da Polícia Militar, dez deles são do sexo feminino e 32 são homens. Os formandos Karla Patrícia Costa Guimarães, Gleyson Santos Cruz e Clenilson Peniche Galisa foram premiados com comenda especial por se classificarem no curso em primeiro, segundo e terceiro lugares, respectivamente.

O coronel Carlos Silva, subcomandante PM no Pará, destacou que os três soldados “são policiais que demonstraram alto grau de dedicação, preparo e inteligência, possuidores de um senso ético apurado, extremamente disciplinados e compromissados em aprender e assimilar os ensinamentos repassados pelos instrutores, posto que não mediram esforços para desempenhar suas atividades curriculares com brilhantismo”.

O oficial da PM encerrou o elogio aos três primeiros colocados no curso de formação de soldado, afirmando que soldados militares como Karla, Gleyson e Peniche enchem de orgulho a corporação, que tem a convicção de que eles serão “excelentes profissionais” a serviço da população do Estado do Pará.

A solenidade de passagem de comando e formatura dos novos soldados contou com leitura de portarias de exoneração e nomeação, conduzindo o tenente-coronel Roberto Coracy ao comando do quartel da PM em Parauapebas; apresentação dos formandos ao novo comandante e à sociedade, pelo capitão Joás Souza Pereira; entrega de diploma pelos padrinhos e madrinhas aos concluintes do curso; juramento ao subcomandante da PM, continência ao pavilhão nacional, palavra do coronel Carlos Silva aos presentes, execução do hino do Estado do Pará, formando “fora de forma” e comemoração entre colegas e familiares.

O evento foi abrilhantado com os acordes musicais da banda do Exército Brasileiro, de Marabá, sob a regência do segundo-tenente EB Denir Figueiredo, convidada para participar do ato solene da Polícia Militar em Parauapebas.

CURSO
De acordo com o capitão Raimundo Miranda Júnior, o Curso de Formação de Soldados foi ministrado no quartel do 23º Batalhão da Polícia Militar, em Parauapebas, no período de 3 de setembro do ano passado a 27 de maio deste ano, contendo em sua grade curricular 30 disciplinas.

As disciplinas do curso versaram sobre direitos humanos, relações interpessoais, ética profissional, tiro defensivo, técnicas de abordagens, defesa pessoal, direito constitucional, direito penal militar, gerenciamento de crises, além de estágio operacional supervisionado para os formandos.

O evento foi marcado com as presenças de representantes dos poderes Judiciário, Legislativo e Executivo, familiares dos formandos e populares. (Waldyr Silva/CT)

Músicos do projeto Caravana dão show em Parauapebas

Fotos: Waldyr Silva

O Charme do Choro

Mestre Curica

William Barros

Público na praça

Os músicos que integram o projeto Caravana da Música Popular fizeram uma grande apresentação na noite da última sexta-feira (27) na Praça Mahatma Gandhi, em Parauapebas, numa turnê que acabaram de fazer nos municípios de Parauapebas, Canaã dos Carajás (sábado, 28) e Marabá (no domingo, 29).

O show em Parauapebas foi prestigiado por um grupo seleto de intelectuais, advogados, juízes, professores, jornalistas, artesãos, artistas plásticos e outros segmentos que apreciam uma boa música paraense.

Pela ordem, apresentaram-se ao público o grupo O Charme do Choro, de Belém, composto por seis moças (só vieram cinco) que tocam chorinho e samba, com muito talento e graça; Hidelfonso Alencar (Del), instrumentista, intérprete e guitarrista, que morou por muito tempo em Parauapebas e hoje reside em Canaã dos Carajás; e Pablo Belusso, de Marabá, cantor e compositor que lançou recentemente o CD “Poema urbano”, sucesso de público e crítica no sul e sudeste do Pará.

Os dois últimos artistas do projeto a se apresentarem foram William Barros, de Parauapebas, vencedor do Festival de Música de Parauapebas (Fempa) em 2010, impressionando o público com as canções de sua autoria; e Mestre Curica, de Belém, músico muito conceituado, que tem sacudido a música regional paraense através do estilo guitarrada (instrumental).

O projeto Caravana da Música Popular é um evento idealizado por Angélica Nunes e Márcio Macedo, em parceria com a empresa MM Produções, de Belém, que, com o patrocínio da empresa Tim e o apoio das prefeituras de Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá, levaram a esses municípios uma "caravana" de grandes talentos paraenses.

Em conversa com a reportagem, a instrumentista Kamila Alves, líder do grupo O Charme do Chorinho, explicou que o conjunto foi formado no final de 2006, após a realização de uma oficina de choro no Instituto de Artes do Pará (IAP). “Costumamos interpretar músicas de Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Waldir Azevedo, entre outros, que deixaram um legado muito grande na arte do choro”, defende Kamila Alves.

O Charme do Choro é composto pelas moças instrumentistas Laíla Cardoso (violão de seis cordas), Carla Cabral (cavaquinho), Dulce Cunha (flauta transversal), Rafaela Bittencourt (pandeiro), Jade Morais (bandolim) e Kamila Alves (violão de seis cordas). Jade Morais não pôde acompanhar o grupo nesta turnê do sudeste do Pará. (Waldyr Silva/CT)

Vila Romana goleia União e decide com Rio Branco a final do Master

Fotos: Carlos Campos
Atacante Nide

Vila Romana

Mantendo 100% de aproveitamento pelo Campeonato Municipal de Master, o Vila Romana não deu chances à equipe do União de levantar o bicampeonato este ano, goleando o time do técnico Doutor, atual campeão, pelo Placar de 4 a 1, e garantiu vaga para final do campeonato.

Os destaques da partida foram o atacante Nide, que recebeu dois presentes do goleiro do União e marcou dois gols, e o lateral esquerdo Ozair, que marcou seu primeiro gol com a camisa do Vila. O confronto aconteceu no último domingo (29), no estádio Rosenão, em Parauapebas.

Uma partida sem favoritos era o que apontava o confronto entre Vila Romana e União. Protagonistas da final de 2010, quando na ocasião o União levou a melhor, ficando como título, o União até esboçou um favoritismo quando Baiano, abrindo o marcador, aos 26 minutos da primeira etapa, marcou o gol do União.

O Vila não quis ver o filme de 2010 se repetir em 2011 e tratou de fazer isso ainda no primeiro tempo com o lateral Ozair, que chutou de fora da área e marcou seu primeiro gol pelo Vila. No finalzinho do primeiro tempo, o atacante Zé Pereira virou o jogo, aos 39 minutos.

Na etapa complementar, o goleiro do União falhou na defesa e soltou a bola nos pés do atacante Nide, que marcou o terceiro gol do Vila, aos 4 minutos. A equipe do União se esforçava, mas não conseguia encostar no placar. A noite estava negra para os atacantes do técnico Doutor.

Para o Vila Romana, que jogava pelo empate, a classificação estava garantida com o placar de 3 a 1, mas o goleiro do União estava impossível. Em mais uma falha, Nide aproveitou para fechar o placar em 4 a 1, aos 35 minutos do segundo tempo. Fim de jogo: Vila Romana, na final, 4; União, 1.

Bahia 0 x 1 Rio Branco
O outro finalista foi conhecido no sábado (28), na partida entre Bahia e Rio Branco. A equipe do Bahia, que jogava pelo empate, sucumbiu diante do estratégico Rio Branco. O técnico Gago anulou os dois principais jogadores do Bahia, Carlinhos e Adalberto, com uma forte marcação, e saiu de campo com a vitória de 1 a 0. Agora, vai disputara a grande final da competição contra o Vila Romana no próximo sábado (4), às 18 horas, no estádio Rosenão.

O destaque do jogo foi o atacante Magrão, que marcou o único gol da partida, aos 28 minutos do primeiro tempo. (Carlos Campos/Waldyr Silva/Correio do Tocantins)

segunda-feira, 30 de maio de 2011

domingo, 29 de maio de 2011

Independente faz 2 a 0 e elimina Clube do Remo

O ano de 2011 pode ter acabado hoje para o Clube do Remo. O Independente dominou a partida e venceu por 2 a 0, eliminando o time remista não apenas do campeonato paraense, mas também da disputa por uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro.

Mesmo entrando em campo com três volantes, o time remista não conseguiu igualar a velocidade do ataque do Independente, que pressionou desde o início e chegou ao primeiro gol aos 14 minutos do primeiro tempo. Lima cruzou pelo lado direito da área do Leão e o volante Evandro Pará acertou uma cabeçada fulminante.

O gol deu tranquilidade ao time de Tucuruí, que contava com a lentidão do ataque remista para armar contra-ataques rápidos e levar perigo ao goleiro Lopes. O Remo também esbarrou na grande atuação do goleiro Dida, que fez grandes defesas durante o primeiro tempo.

Aos 41 minutos, após confusão na área do Independente, a bola sobrou na cabeça de Jaílton Paraíba, mas o goleiro Dida fez um milagre na melhor chance remista no jogo. No rebote, Gian aliviou a bola da área e o ataque do Independente pegou a zaga remista desprevenida.

No contra-ataque, Joãozinho dividiu com o goleiro Lopes e o meia Marçal aproveitou o vacilo do volante Moisés para limpar a jogada, driblar o goleiro e bater para o gol, fazendo 2 a 0. Com o placar construído, o Galo Elétrico de Tucuruí passou a cozinhar o jogo.

No segundo tempo, o time do Remo partiu pra cima precisando de um gol para a classificação. O Independente passou a trocar passes no campo de ataque, procurando espaços na zaga remista. Mas Elsinho, que havia acabado de entrar, levou dois cartões amarelos em menos de cinco minutos e foi expulso.

Com um a menos, a tarefa remista parecia impossível, e o time se abateu. Um torcedor chegou a invadir o campo para cobrar raça do time azulino, mas faltava fôlego para acompanhar os contra-ataques do Galo. Quando conseguia chegar, o ataque remista parava nas mãos do goleiro Dida.

No fim do jogo, a esperança de gols ressurgiu com a entrada de Finazzi, que passou a ser alvo de cruzamentos do ataque remista. Mas aos 42 minutos, após uma discussão com o zagueiro Moisés do Independente, o auxiliar acusou ao árbitro uma agressão do atacante remista. Finazzi foi expulso.

A partir daí, debaixo de protestos da torcida azulina e "olé" da torcida do Galo, o jogo se encaminhou para o final. Independente na final do segundo turno, e Remo de férias até segunda ordem.

DESABAFO
Em entrevista coletiva após o jogo, o treinador Givanildo de Oliveira desabafou: "Desta maneira, eu não trabalho mais em Belém". Givanildo reclamou da preparação física que encontrou no elenco azulino, inclusive apontando várias ocorrências de câimbra entre os atletas.

O treinador confessou à reportagem da Rádio Clube que conversou após o jogo com a diretoria azulina, e que só voltará a treinar um time paraense se lhe for oferecido um planejamento desde o início da temporada. (Fonte: DOL)

Por cima

by Chico Caruso

sábado, 28 de maio de 2011

Inauguradas novas instalações do Fórum de Parauapebas

Fotos: Waldyr Silva





Acompanhada de seu antecessor, desembargador Rômulo José Ferreira Nunes, e do presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Pará (Amepa), juiz Heyder Tavares da Silva Ferreira, a desembargadora Raimunda Gomes Noronha, presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJE-PA), inaugurou na manhã desta sexta-feira (27) as novas instalações do Fórum Juiz de Direito Célio Rodrigues Cal, na comarca de Parauapebas.

A solenidade contou ainda com as presenças do juiz Everaldo Pantoja e Silva, diretor da repartição; delegado de Polícia Civil, Antonio Miranda Neto; comandante da unidade do Corpo de Bombeiros, major Luiz Cláudio; vice-presidente da Subseção da OAB local, advogado Josenildo dos Santos Silva; promotor de Justiça Danyllo Pompeu Colares; procuradora geral do município de Parauapebas, advogada Quésia Siney Lustosa; magistrados, servidores e jurisdicionados da Comarca de Parauapebas, e outras autoridades.

O evento contou com hasteamento de bandeiras, mensagem espiritual, descerramento de placa inaugural, pronunciamento do diretor de Fórum e da desembargadora, culminando com coquetel oferecido às autoridades e convidados, e visita às novas instalações do órgão.

Em seu discurso, a desembargadora Raimunda Noronha fez questão de ressaltar que as obras de reforma e ampliação do Fórum de Parauapebas foram iniciadas “na operosa gestão de meu querido amigo desembargador Rômulo José Ferreira Nunes, a quem tive a honra de substituir na presidência do egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Pará”.

Referindo-se à obra, a desembargadora revelou que o TJE-PA investiu exatos R$ 1.139.557,00 nos serviços de reconstrução do órgão, que compõe de 1.228,75 m2, representando a ampliação um acréscimo de 387,75 metros quadrados.

Agora, o prédio do Fórum conta com dois pavimentos com dependências para as quatro varas e um juizado especial integrado ao Processo Judicial Digital (Projudi), além de salas disponibilizadas à OAB, Ministério Público e Defensoria Pública.

O salão do júri passou a ter capacidade para 80 pessoas, complementado por carceragem com circulação restrita e custódia de menor, sala secreta, duas salas de testemunhas, sala de reconhecimento e depósito de materiais e armas apreendidos.

Ouvida pela reportagem do CORREIO DO TOCANTINS, Raimunda Noronha frisou que “a simplicidade desta cerimônia não representa a importância deste momento para o município de Parauapebas. E fiz questão de trazer comigo o artífice desta obra, porque, com ele, o Tribunal de Justiça deu início a um novo tempo de mais efetiva interiorização de suas ações, voltando um olhar mais profundo e decisões mais céleres para a melhoria da prestação jurisdicional nas comarcas fora da capital”.

Aos magistrados e serventuários do Fórum, a presidente do TJE-PA pediu que preservassem o bem púbico e tivessem em mente que de nada adiantarão o conforto, a beleza da construção e os modernos equipamentos, se o principal objetivo, que é o bom atendimento ao cidadão, não for colocado de modo privilegiado e absoluto, no dia a dia do desempenho profissional.

Em rápidas palavras com a reportagem, os juízes Líbio Araujo Moura e Everaldo Silva; o promotor Danyllo Colares, o advogado Josenildo Silva e o cartorário Emilio Augusto de Moraes Gallo elogiaram as novas instalações do Fórum, afirmando que agora a repartição pública fazia jus ao crescimento de Parauapebas. (Waldyr Silva/CT)

Escritora parauapebense lança livro sobre motivação da família

Fotos: Álbum da autora



Após retorno da França, onde esteve recentemente em Paris participando do lançamento da Antologia Show dos Escritores Brasileiros (Le Grande Show des Écrivaines Brésiliennes), a escritora parauapebense Terezinha Guimarães coloca à disposição de seus leitores mais uma obra de sua autoria, desta vez o livro “Motivação”.

Atendendo pedido de algumas pessoas, a escritora usa seus trabalhos literários para fundamentar ou argumentar determinadas situações em encontros, palestras, seminários e outros tipos de debate com a sociedade da região.

Em sua obra, Terezinha Guimarães ressalta a importância do diálogo na auto-afirmação das pessoas que enfrentam os problemas da vida, com determinação e amor.

O livro traz ainda mensagens que tiram as pessoas do anonimato das ilusões e sofrimento, apontando caminhos que direcionam à busca da realização dos ideais.

Para a autora, a motivação, que leva o título do livro, é um instrumento de grande valia, “uma necessidade que norteia a vida e garante pensamentos capazes de encarar as dificuldades e vencer os problemas do dia a dia”.

Terezinha Guimarães considera que a obra “Motivação” é uma busca no interior do ser que revitaliza a essência do amor, envolve e proporciona momentos agradáveis na vida.

A escritora é membro efetivo da Academia de Letras do Sul e Sudeste Paraense, com sede em Marabá, e autora ainda das obras “A busca pela afetividade” (2003), “Análise de vida” (2005), “Valores conjugais” (2007) e “Sol e lua” (2009). (Waldyr Silva/Correio do Tocantins)

Coluna Linha Cruzada: 28 a 30/05

No início da semana, um determinado elemento liga para o telefone fixo da delegacia de polícia de Parauapebas e se identifica como sendo promotor de Justiça, que estava com a família na estrada entre Parauapebas e Canaã dos Carajás com o veículo em pane e por isso precisava de ajuda. /// De pronto, o delegado passa o número do celular de um investigador de polícia para ele resolver a situação da suposta autoridade. /// O falso promotor diz para o investigador comprar certo medicamento para a mulher dele, que estaria passando mal na estrada, e pede que o policial faça duas recargas para o celular dele no valor de R$ 50 cada. /// A recarga foi feita e o “promotor” solicita mais duas recargas no mesmo valor, pois estava ligando para a seguradora, e o pedido foi novamente aceito. /// Em seguida, o homem do outro lado da linha pede para colocar mais 50 reais no celular. O crédito é colocado de novo, e aí o investigador desconfiou, pegou o carro, foi até Canaã dos Carajás e não encontrou o tal promotor de Justiça. /// Na sessão ordinária da última terça-feira (24), na Câmara Municipal de Parauapebas, a dona de casa Heliza dos Santos, integrante do movimento de sem-teto que esteve na sessão, denunciou que cerca de 300 famílias invadiram uma área localizada no Bairro Nova Vida II e foram retiradas de lá recentemente, e por isso o grupo foi pedir apoio dos vereadores para resolver o impasse. /// A vereadora Francis Resende (PMDB) solicitou a realização de uma sessão especial na escola Olga da Silva, no Bairro Altamira, juntamente com representantes dos bairros circunvizinhos, a ser realizada no dia 12 de junho, às 9 horas. /// A sessão itinerária tem como objetivo proporcionar à comunidade do complexo Altamira a oportunidade de participar dos trabalhos da Câmara Municipal. /// “Essa é uma oportunidade que vamos ter para divulgar nosso trabalho, porque muita gente ainda não veio participar das sessões legislativas, não sabe como funciona e nem conhece os vereadores”, justifica Francis. /// Sobre a CPI para investigar a aplicação de recursos oriundos da Cefem, a vereadora explicou que os vereadores vão levantar os procedimentos sobre o suposto contrato da Prefeitura de Parauapebas com o advogado Jader Alberto Pazinato, de Santa Catarina. /// No grande expediente da sessão, foi aprovado em primeira discussão o Projeto de Lei n° 008/2011, de autoria do vereador Odilon Rocha de Sanção (PMDB), que trata da proibição de celulares e aparelhos de transmissão no interior das agências bancárias localizadas no âmbito do município de Parauapebas. /// De acordo com o vereador, em determinadas situações o uso do aparelho celular compromete a segurança da coletividade, que sofre com a ação de criminosos que se valem do celular para cometer diversos delitos. /// O projeto visa diminuir crimes, comumente conhecidos como “saidinha de banco”, ações que têm se tornadas corriqueiras em Parauapebas e deve passar por uma segunda discussão na Casa de Leis. /// Bom final de semana.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Gapp+ representa Parauapebas e região em congresso de Aids no PR



De 18 a 21 de maio, aconteceu em Curitiba (PR) o VIII Congresso da Sociedade Brasileira de DST, IV Congresso Brasileiro de Aids e o I Congresso da Alac-DST/Iusti Latino-América.

O Grupo de Apoio às Pessoas Vhivendo com HIV e Aids e à Prevenção (Gapp+) representou Parauapebas e região com os ativistas Gilvan Silva (presidente), Cleonice Ximendes (vice-presidente), Erinaldo de Morais (diretor deliberativo) e Joddal Simon (coordenador geral).

Cada ativista esteve empenhado nas ações de políticas públicas para pessoas vivendo com HIV, Aids e prevenção, e na articulação com a Unaids, agência de Aids da ONU; Departamento Nacional de Aids e os Estados Unidos.

O Gapp+ fez a inscrição de Parauapebas na Associação Latino-Americano de DST/Aids, que tem como objetivo as discussões e representatividade dentro do cenário da América Latina.

“Dentro de Parauapebas e região, os direitos das pessoas vivendo com HIV e Aids serão mantidos e defendidos nas esferas públicas e privadas”, defende Gilvan Silva.

Em reunião com o setor de prevenção do Departamento Nacional de Aids, a instituição de Parauapebas colocou a cidade na lista de municípios no plano piloto de instalação de máquinas automáticas de distribuição de camisinhas dentro das escolas.

Parauapebas vai ser o primeiro município do Pará a receber as máquinas, mas as escolas a serem contempladas serão feitas através do Núcleo Pedagógico do Gapp+, representado pelos ativistas e educadores Maria Berenice, Socorro Gomes, Rubemarcia e Marcos Gonçalves, que farão reuniões com as escolas a serem escolhidas juntamente com os alunos educadores e pais, construindo uma política de prevenção sólida e continua. “A temática saúde e educação sexual dentro das escolas deve ser lei”, destaca Cleonice Ximendes.

A participação do Gapp+ teve o apoio da Prefeitura de Parauapebas, empresas locais e do Departamento Nacional de Aids do Ministério da Saúde. (Joddal Simon)

Pedreiro entra na Justiça para conseguir casar com mão esquerda

Homem alega que nenhuma mulher lhe dar prazer como sua mão esquerda

Um fato inusitado ocorreu na Justiça de Garanhuns, Pernambuco. O pedreiro Oswaldo Mattos Santos (foto) entrou com uma ação na justiça para ter direito de casar com sua... mão esquerda.

“Nenhuma mulher conseguiu me proporcionar o prazer que ela (a mão) me dá. Gostaria muito de oficializar este sentimento puro e verdadeiro para o mundo”, de Oswaldo Santos.

Apesar de o casamento “oficial” ainda não ter sido autorizado, ouve um “casamento extra-oficial”, que contou até com depoimentos emocionados dos amigos dele. O "casal" viajou para passar a lua-de-mel no Rio de Janeiro.

Legalmente, o “casamento” não tem validade, mas já causou um tremendo alvoroço na imprensa local. O juiz Lauro Barbosa, responsável pelo caso, prometeu analisar os argumentos deste pedido "inusitado". (Fonte: Alagoas WEB)


Reportagens do grupo ORM vencem Prêmio Sebrae de Jornalismo

Equipe do programa É do Pará

Exposição de peças produzidas com caroço de açaí

Dois veículos das ORM (Organizações Romulo Maiorana) foram os grandes vencedores da etapa regional do Prêmio Sebrae de Jornalismo. O programa "É do Pará", da TV Liberal, venceu com a reportagem "Ateliê do Açaí" e os repórteres Celso Freire e José Luis Silva, da Rádio O liberal CBN, também venceram na categoria radiojornalismo, com a reportagem "Microempresários do Artesanato".

Em sua terceira edição, o prêmio Sebrae de Jornalismo é promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e tem o objetivo de estimular e valorizar a produção de trabalhos jornalísticos veiculados na imprensa nacional relativos ao desenvolvimento das micro e pequenas empresas no Brasil.

É do Pará
A reportagem que rendeu o prêmio ao programa foi a "Ateliê do Açaí". Veiculada em 16 de outubro de 2010, conta a história do casal Valter Desiderio Barreto e Gina Miuki Mikawa, do município de Vigia de Nazaré, no nordeste do Pará, que recolhe e reaproveita caroços de açaí que seriam despejados no lixo, para produzir móveis, utensilios decorativos, entre outros.

Para Arcângela Sena, editora do programa, vencer a etapa regional é importante. "É gratificante conquistar essa premiação, porque confirma a ideia que temos no programa, que é fazer o paraense sentir orgulho da terra, ajudando no crescimento do estado e do país, mostrar que pequenas ideias podem render frutos grandiosos", comemora.

Rádio O Liberal CBN
Os outros vencedores da noite, os repórteres Celso Freire e José Luis Silva, ganharam com a série "Microempresários do Artesanato", que teve como objetivo valorizar a profissão de artesão e mostrar os problemas que a categoria vem passando para manter seu trabalho: filhos de artesãos que não querem continuar o trabalho e a escassez da argila, matéria prima utilizada para a fabricação dos utensílios.

No dia 1º de junho, Arcângela e Celso participam, em Brasília, da etapa que poderá premiar os dois veículos com o título de melhor reportagem do país sobre o desenvolvimento das micro e pequenas empresas no Brasil. (Portal ORM)

Por encomenda

by J.Bosco

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Coluna Linha Cruzada: 26 e 27/05

Por ocasião da realização de audiência pública da Comissão Especial da Assembleia Legislativa, na última terça-feira (24), na Câmara Municipal de Parauapebas, para tratar da Lei Kandir, um oficial da PM que fazia a segurança dos deputados tomou um susto quando viu entrar um grupo de pessoas e se aproximar da mureta que separa o auditório com o local onde se encontravam os parlamentares. /// O oficial chegou a pedir que os manifestantes se afastassem um pouco da mureta, mas os populares prefiram ficar onde estavam. /// O grupo de pessoas tinha ido à Câmara reivindicar aos vereadores benfeitorias para o Bairro Nova Vida II, sem saber que naquele momento estava ocorrendo uma audiência pública da Assembleia Legislativa do Estado. /// Na audiência pública, o deputado estadual Milton Zimmer (PT) conclamou a população de Parauapebas para se juntar aos deputados e reforçar o pedido de modificação da Lei Kandir, que estaria nos últimos 14 anos dando prejuízo mensal de cerca de R$ 1,5 bilhão ao Estado do Pará, por causa da isenção de impostos em produtos exportados. /// O parlamentar declarou que já chega de o Pará perder suas riquezas minerais sem receber nenhuma troca em benefício para a população que mora nos municípios mineradores. /// Milton Zimmer revela que até o final de junho próximo os membros da Comissão Especial da Alepa vão realizar audiências públicas em municípios mineradores do estado, arregimentando forças para que a Lei Kandir seja alterada no Congresso Nacional. /// Por sua vez, a deputada Bernadete ten Caten (PT) reconhece que a luta em Brasília para reformar a lei não vai ser fácil, pois são poucos os estados prejudicados pela Lei Kandir. /// Bernadete Caten lembrou que nos municípios onde há minério a população vive sobre a riqueza, mas as condições de vida são relegadas ao abandono pelo poder público. /// Numa conversa reservada com a imprensa local, o deputado Celso Sabino (PR) declarou que não é contra a criação do Estado de Carajás, mas a favor do desenvolvimento do Estado do Pará como um todo. /// Um grupo de pessoas ligadas ao City Park Tênis Club está vendendo cartela de bingo ao preço de R$ 20,00 para a realização do “I Festival de Prêmios Beneficente”, em favor da Associação dos Vendedores Autônomos de Parauapebas (Avap), a ocorrer no dia 12 junho, na sede do clube. /// A organização do festival oferece cinco prêmios, que são uma moto Titan 150, uma moto Biz 125, uma moto Pop 100, um note book e uma geladeira de 280 litros. /// Além dos prêmios acima, haverá sorteios pelo número da cartela de cinco tanquinhos, cinco liquidificadores, cinco ventiladores e 10 aparelhos celulares. /// O movimento eternista vai se reunir nesta sexta-feira (27), na Praça Mahatma Gandhi, às 19 horas, para deliberar sobre mais uma ação da categoria. /// A Câmara Municipal de Parauapebas escolheu os vereadores Raimundo Vasconcelos (PT), presidente; Percilia Martins (PRTB), relatora; Francisângela Resende (PMDB), José Adelson (PDT) e José Alves (PT) como membros da CPI que vai investigar a aplicação dos recursos dos royalties pelo prefeito Darci Lermen (PT). /// Até sábado (28), leitor.

Comissão especial da Alepa exige alteração na Lei Kandir

Fotos: Waldyr Silva
Composição da mesa

Público no auditório

Deputado Celso Sabino

Deputada Bernadete Caten

Deputado Milton Zimmer


Os deputados estaduais Celso Sabino (PR), Bernadete ten Caten (PT) e Milton Zimmer (PT), integrantes da Comissão Especial de Estudo e Análise sobre a Lei Kandir da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), pregaram durante audiência pública na última terça-feira (24) na Câmara Municipal de Parauapebas reforma na referida lei.

Segundo revelaram os parlamentares, nos últimos 14 anos o Estado do Pará vem perdendo algo em torno de R$ 1,5 bilhão por ano, ou seja, um prejuízo de R$ 21 bilhões por causa da Lei Kandir.

O deputado Celso Sabino, presidente da Comissão da Alepa, observa que estes valores perdidos dariam para construir 50 mil casas populares por ano, situação que resolveria definitivamente em cinco anos o problema de habitação enfrentado pelos paraenses; ou a construção de 10 hospitais regionais.

Criada em 1997 pelo Congresso Nacional com o objetivo de estabilizar a balança comercial brasileira, exonerando o ICMS de produtos a serem exportados, a Lei Kandir ao longo desses anos vem prejudicando o Pará, uma vez que o estado tem como vocação a comercialização matérias-primas sem industrialização.

De acordo com o deputado Celso Sabino, a Lei Kandir vem sendo discutida, principalmente pelos estados do Pará e Minas Gerais, grandes produtores de minério, desde quando ela foi criada, no sentido de que a referida lei seja modificada, proporcionando aos estados prejudicados a arrecadação justa de impostos dos produtos exportados.

ABAIXO-ASSINADO
Na audiência pública, a deputada Bernadete Caten iniciou a coleta de assinatura para um abaixo-assinado que ela pretendente encaminhar com cerca de 300 mil subscrições ao ministro das Minas e Energia, reivindicando em cinco itens alterações na legislação mineral.

A parlamentar sugere no cabeçalho do documento alteração na Lei Kandir, de modo que o Pará possa voltar a arrecadar 13% de ICMS sobre a exportação de produtos primários e semi-elaborados; introdução de regras que reduzam impostos sobre a exportação de produtos industrializados, incentivando a verticalização com a consequente geração de empregos para a população; criação, de imediato, de um plano de investimento para a verticalização minerária, incluindo a “aglomeração do fino” (pelotização), que hoje é feita exclusivamente no Estado do Maranhão, com o minério do Pará. Sabe-se que a siderúrgica de Marabá consumirá menos de 5% do minério extraído hoje na mina de Carajás.

O abaixo-assinado propõe também alteração na alíquota da Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cefem) de 2% para 7%, a ser calculada sobre a produção bruta de minério; e criação de fundos regionais de exaustão, a partir da ampliação da arrecadação da Cefem, que beneficiem a todos os municípios e não somente os mineradores.

Para a gestão dos fundos, o documento sugere a criação de regras, conselhos regionais e municipais, com a participação popular, e que sejam investidos em projetos produtivos alternativos à exaustão minerária e contribuam para a melhoria do IDH dos municípios.

Os deputados fraquearam a palavra para vereadores e populares representantes de instituições organizadas que se encontravam no auditório da Câmara Municipal, que por sua vez reforçaram a ideia da comissão da Assembleia Legislativa. (Waldyr Silva/Correio do Tocantins)

Curso para adoção de crianças

Tem início nesta quinta-feira (26), e vai até esta sexta-feira, no auditório do Ministério Público de Marabá, o III Curso de Estudos e Apoio à Adoção em Marabá, uma iniciativa do Grupo de Apoio a Adoção do Pará (Gaamar), em parceria com a 6ª Vara da Infância e Juventude de Marabá e o Ministério Público.

O objetivo é socializar informações e repassar conhecimentos sobre a nova lei da adoção a profissionais que atuam na área da infância e juventude, além de estudantes das diversas áreas.

Entre os assuntos em pauta está a implementação da Lei nº 12.010/09 (Nova Lei de Adoção), que recomenda às instituições públicas a adoção de novas estratégias no que diz respeito a assegurar à criança e ao adolescente o direito à convivência familiar e comunitária.

Programação
Quinta-feira (26): Credenciamento, palestra de abertura “O que significa ‘adotar’: implicações psicológicas e contexto histórico”, com Oziléa Souza Costa (psicóloga do Ministério Público Estadual); debate, intervalo, mesa redonda: “Adoções prontas x adoções à brasileira e o papel da rede de atendimento”, por Laudia Maria da Paixão (assistente Social do Ministério Público Estadual) e Edevaldo Azevedo (assistente social da 6.ª Vara da Infância e Juventude), tendo como debatedores Eliane da Silva Barros (assistente social do HMI) e Neusa Silva Sá (Conselheira Tutelar); debate, intervalo para o almoço.

À tarde, palestra “A Nova Lei de Adoção: principais avanços e entraves”, com Eduardo Antônio Martins Teixeira (juiz de Direito da 6.ª Vara Cível da Infância e Juventude) e debatedores Hygéia Valente de Souza Magalhães e Lilian Viana Freire (promotoras de Justiça da Infância e Juventude); e encerramento das atividades do primeiro dia do evento.

Quinta-feira (27): Às 8 horas - minicurso “O papel da rede do sistema de garantia dos direitos da criança e do adolescente nos casos de adoção”, com a instrutora Rosana Barros (analista judiciário/Serviço Social da 1ª Vara Cível da Infância e Juventude da Comarca da Capital e coordenadora do Grupo Renascer (Belém-PA), tendo como público-alvo representantes das entidades que compõem a rede do sistema de garantia dos direitos da criança e do adolescente; às 12 horas, encerramento.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Trocando em miúdos

Francesco Costa - Recebi recentemente um e-mail que traz como título “Novo método de transmitir HIV”. Confesso que fiquei um tanto preocupado com o conteúdo, pois nele há relatos de que agulhas contaminadas estão sendo colocadas em locais como, por exemplo, poltrona de cinema e caixa eletrônico de bancos.

Mas não me refiro à preocupação com o alerta sobre como o e-mail explica que o HIV está sendo espalhado. Fiquei preocupado com a falta de informação de pessoas que falam do que não sabem e fazem questão de reforçar o preconceito que já é grande.

Enquanto ficamos preocupados com a propagação da Aids, inúmeras doenças incuráveis como, por exemplo, as hepatites correm soltas e contaminam incontáveis pessoas. Quando se vai à manicure a única preocupação é com o HIV. Gente, acorda!!! O HIV não tem vida fora de um corpo nem mesmo por segundos! Já as hepatites, mesmo fora do corpo, permanecem firmes e fortes por horas a fio.

É impossível uma agulha manter vivo o HIV à espera de um desavisado para espetar-se nela. Não entendo, sinceramente, qual a diferença de ter Aids, diabetes ou hipertensão! Sabe quantos comprimidos uma pessoa com Aids toma por dia? Pois é, vários. E estes não trazem nenhuma reação adversa. Sabe o que uma pessoa com Aids pode comer ou beber? Pasme. Pode comer e beber tudo o que tiver vontade.

Sabe o que uma pessoa com Aids não deve fazer? O mesmo que as pessoas que pensam não ter a doença: transar sem camisinha. Agora você sabe quantos comprimidos uma pessoa hipertensa ou diabética toma por dia? Vários. E, diferente do coquetel AZT, usado pelas pessoas que vivem com Aids, trazem vários desconfortos, entre eles irritabilidade e impotência sexual.

Sabe o que uma pessoa com hipertensão ou diabetes pode comer ou beber? Pouquíssimas coisas. É preciso evitar frituras, sal, açúcar, massas etc. Bebidas alcoólicas, então, nem pensar, pois se misturados com os medicamentos causa reação adversa, podendo levar a óbito. Sabia?

Sabe o que uma pessoa com hipertensão ou diabetes não deve fazer? Vixe, não vai dar para listar, pois são tantas! Mas vou citar algumas: transar sem camisinha, dormir tarde, comer tudo o que antes gostava, fazer um brinde com os amigos, e o que é pior, não conseguirá agradar sexualmente o parceiro (a), pois os medicamentos usados causam disfunção erétil (impotência sexual).

Conheço várias pessoas que vivem há vários anos com HIV/Aids, uma delas há 30 anos e tem uma vida super normal: toma cachaça, vai às festas, namora, come tudo o que tem vontade e é uma pessoa super para cima. Porém, não conheço nenhuma pessoa que tenha diabetes ou hipertensão e viva em paridade com o soropositivo. Você conhece? Caso sim, por favor, me apresente.

O único, e grande, problema enfrentado pelas pessoas que vivem com Aids é o preconceito alimentado por pessoas iguais a estas que criaram ou divulgam textos como este que recebi intitulado “Novo método de transmitir HIV”.

Não sou soropositivo, faço testes periodicamente. Mas, trocando em miúdos, entre ter Aids ou diabetes e hipertensão, escolheria a primeira opção. Ah, a propósito, quando foi o último teste sorológico que você fez? (se é que já fez alguma vez!). Tenho certeza que não tenho HIV muito menos Aids, e você?

Quadrilha

by J.Bosco

Como se forma um assessor de imprensa

Disposição e vontade de aprender. Com estas duas qualidades, aí sim, começa a se formar um assessor de imprensa. Iniciei na Scritta como estagiária em janeiro de 2006, quando sequer tinha chegado ao segundo ano da faculdade de jornalismo. Era minha grande chance, pensei. Logo tratei de pesquisar sobre o setor, treinei o português e até me aprimorei na informática.

Os primeiros momentos pareciam assustadores, ao ver profissionais mais experientes saindo para reunião, redigindo releases, fazendo follow-ups. Fui contratada especificamente para colaborar na organização da área de media training do novo site. Porém, queria um dia ser como eles. Para isto, ouvia e observava as pessoas ao meu redor.

O tempo passava e cada dia um aprendizado. A esta altura do campeonato, já sabia distribuir os comunicados de imprensa, atender a solicitações, atualizar mailing e até fazer aquele cafezinho. Reclamar, nem pensar! Tinha sede de aprender e por isto memorizei o que cada veículo publicava, datas de fechamento e até nomes e telefones dos jornalistas.

As tarefas sob minha responsabilidade logo acabaram e era preciso apresentar um diferencial para continuar na empresa. Por isto, comecei a arriscar e produzir algumas sugestões de releases. Um deles foi considerado impecável. Com mais confiança, resultados começaram a pipocar na Folha de S.Paulo e no Estadão. E arranjava tempo para sentar ao lado de alguém mais experiente, para aprender mais, saber lidar com clientes...

Mas em uma sexta-feira, com a saída de duas profissionais, tive que assumir a conta de um cliente. E a estagiária conseguiu uma capa do caderno de empregos da Folha de S.Paulo. Sucesso e repercussão absolutos naquela semana.

O período de estágio duraria três meses. Isto aconteceu há cinco anos e meio. E hoje atendo empreendimentos de uma grande rede hoteleira e uma renomada operadora de turismo. Mas não deixei de fazer o cafezinho. E agora acabo de escrever estas linhas, marcadas pela humildade e persistência. (Vanessa Silva)

terça-feira, 24 de maio de 2011

MP conquista Copa Palmares Sul

Carlos Campos

Com dois gols de Maranhão e um de Berimbau, a equipe do MP bateu o time do Triangulina por 3 a 0 e sagrou-se campeã da XI Copa Palmares Sul de futebol 2011. O destaque do MP ficou por conta do jogador Maranhão, que foi bastante aguerrido em campo e até sofreu pênalti que ele mesmo converteu.

O Triangulina, que é dirigido pelos técnicos Nilson e Jair Diogo, chegou invicto na final da competição com 100% de aproveitamento. Mesmo perdendo o título, a equipe teve dois destaques no campeonato, que foram Carlinhos, artilheiro com 8 gols, e Edson, atleta mais disciplinado.

A partida foi realizada na tarde do último domingo (22), no campo da Vila Palmares Sul, e contou com as presenças do vereador Israel Barros “Miquinha”, do deputado estadual Milton Zimmer, dos secretários municipais Roque Dutra (Urbanismo) e Anderson Moratorio (Esporte e Lazer); do presidente da Liga Esportiva, Laoreci Faleiro; entre outros.

A XI Copa Palmares Sul teve a participação de 30 equipes inscritas e foi dividida em três fases. Pela fase principal, apenas 8 times disputaram a competição: Internacional, Primavera, Rio Branco, Triangulina, Adep, Grêmio, Novo Brasil e MP. Foram 15 partidas, 50 gols marcados, com média de 3,3 gols por jogo.

Pelo novo regulamento do campeonato, MP e Triangulina garantiram classificação automática para fase principal da competição de 2012, uma ideia da organização para valorizar o clube que chegar às finais.

Premiação
Goleiro menos vazado, com 4 gols: Rosivaldo, do Rio Branco; atleta mais disciplinado: Edilson, do Triangulina; e artilheiro da competição, com 8 gols: Carlinhos, do Triangulina. (Carlos Campos/Waldyr Silva/CT)

Caravana da música popular em Parauapebas, Canaã e Marabá

Grupo Charme do Choro

A caravana da música popular apresenta no próximo final de semana shows de artistas de Belém (Mestre Curica e O Charme do Choro) e da região sudeste do Pará (Pablo Belusso, William Barros e Del) nas cidades de Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá.

Em Parauapebas, os shows acontecem na próxima sexta-feira (27), na Praça Mahatma Gandhi; em Canaã dos Carajás, no sábado (28), na Praça da Bíblia; e em Marabá, no domingo (29), na orla do rio Tocantins. Esta é a segunda etapa do projeto. Na primeira, em dezembro de 2010, a caravana percorreu as cidades de Capanema, Tucuruí e Paragominas.

NOMES
Nascido em Marituba há 60 anos, Mestre Curica é considerado um dos principais nomes do carimbo paraense, sendo um dos fundadores do Grupo Uirapuru, que acompanhou Mestre Verequete durante décadas. Entre 2003 e 2008, Curica integrou com Mestre Vieira e Aldo Sena o grupo Mestres da Guitarrada, com o qual gravou dois CDs e se apresentou na Alemanha e na França. Em 2008, criou novo grupo, o Guitarradas do Pará, com o qual já gravou dois CDs.

O Charme do Choro é um grupo formado unicamente por mulheres, que se formou na oficina Choro do Pará, realizada em Belém em 2006. O grupo já apresentou os shows "De bem com a vida" (2006) e "De tirar o chapéu" (2010) e participou de recital do violonista erudito Salomão Habib. Depois de tocar em Macapá, no ano passado, O Charme do Choro já tem confirmada nova viagem, desta vez para São Paulo, onde se apresenta no segundo Terruá Pará, no próximo mês de junho.

Pablo Belusso nasceu em Imperatriz (MA) e começou a carreira cantando em festivais em Rondon do Pará. Atualmente, mora em Marabá. Lançou em 2010 seu primeiro CD solo, "Poema urbano", que já vem sendo executado nas rádios de Belém e do sul e sudeste do Pará, além do Paraná, onde esteve no começo do ano. As composições de Pablo Belusso são no estilo pop-rock e têm por tema o cotidiano das grandes cidades, como o amor, as disputas no mercado de trabalho e as dificuldades da vida, algumas das quais inspiradas em fatos vividos pelo artista.

Morador de Parauapebas, Willian Barros é instrumentista, compositor e intérprete, dedicando-se aos estilos rock, MPB e rap. Há 11 anos vem desenvolvendo um trabalho musical no sul do Pará, em cidades como Conceição do Araguaia, Redenção e Xinguara, apresentando-se em festivais de música, bares, escolas e universidades. Tem três CDs gravados.

Del nasceu em Picos, Piauí, e atualmente reside em Canaã dos Carajás. Sua música "Marli" tem sido muito executada na Rádio Arara Azul, em Parauapebas. No período em que morou em Araguaína, Tocantins, Del integrou a Banda Magnatas, com a qual tocou em vários eventos naquele estado. Já participou, como compositor, de diversos festivais da região, como o Festival da Canção de Marabá (Fecam) e o Festival de Música de Parauapebas (Fempa).

O projeto Caravana da Música Popular é uma realização da MM Produções, tendo o patrocínio da Tim, Lei Semear, Governo do Pará e Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, e o apoio da Secretaria Municipal da Cultura de Parauapebas, Secretaria Municipal da Cultura de Marabá e da Prefeitura Municipal de Canaã dos Carajás. (Márcio Macedo/Fábio Gomes/CT)

Polêmica na liga esportiva para entrada de novo clube

Fotos: Carlos Campos
Em reunião realizada semana passada na sede da Liga Esportiva de Parauapebas (LEP), no Bairro Rio Verde, o presidente da entidade, Laoreci Faleiro, propôs aos associados presentes a adesão de um novo clube nos quadros da Liga, o Primavera Esporte Clube, mas dois dirigentes de clubes, “Doutor”, do União, e “Paulinho”, do Carajás, foram contra a proposta, provocando polêmica na reunião.

No ano passado, o Campeonato Municipal da 1ª e 2ª divisão foi disputado por 16 clubes, sendo oito na primeira divisão e oito na segunda. Com o retorno do Docenorte este ano, o número aumentou de 16 para 17 clubes. Baseado nesses números, a presidência da LEP resolveu abrir espaço para o Primavera Esporte Clube, totalizando 18 times.

O Primavera, oriundo do bairro do mesmo nome, foi fundado pela maioria de ex-jogadores, como Santos, Regis e outros. Fora “Doutor” e “Paulinho”, os demais dirigentes de clubes defenderam a entrada da nova equipe nos quadros da Liga Esportiva, sob a justificativa de que as oportunidades devem ser dadas a quem ama e faz tudo pelo futebol parauapebense.

A decisão da entrada ou não do Primavera Esporte Clube no campeonato ficou para ser votada nesta terça-feira (24), às 19h30, na sede da LEP.

REGULAMENTO
Outro tema discutido na reunião da Liga foi o regulamento do campeonato municipal de futebol. Sobre o assunto, a diretora de Esporte da LEP, Solange Campos, sugeriu que o regulamento do ano passado fosse mantido em 2011, uma vez que no campeonato anterior nenhum problema foi detectado durante a realização dos jogos.

Laoreci Faleiro ratificou que foi muito bom o regulamento anterior, e por isso votaria que ele fosse mantido este ano. Solange leu os principais itens do regulamento, para que todos tivessem conhecimento do conteúdo do documento, e no final a regra foi mantida.

Estiveram presentes representantes das agremiações Dallas, Independente, Rio Branco, Asserp, Crap, Grêmio, Docenorte, Juventude, Carajás, Águia Azul, Triangulina, Rio Verde, Bahia, Vila Romana, Beira Rio, União, Palmeiras e Primavera. (Carlos Campos/Waldyr Silva/Correio do Tocantins)

Coluna Linha Cruzada: 24 e 25/05

Grande parte da população de Parauapebas ficou sem energia elétrica no último domingo (22), no período das 5h40 às 13h35, segundo a Celpa, para manutenção de rede. /// Os espaços das mais de 20 lojas que inauguraram no Unique Shopping Parauapebas, semana passada, ficaram pequenos no último sábado (21) para acomodar a quantidade de clientes e pessoas que se deslocaram para aquele centro varejista apenas para conhecer o empreendimento. /// Mesmo com apenas dois quiosques funcionando, poucas mesas dos 600 lugares da praça de alimentação ficaram desocupadas. /// Filas enormes foram formadas no Circuito Cinemas para compra de ingresso e assistir filmes, e na Planet Park, para jogos eletrônicos. /// Outros espaços que registraram também grande movimentação de clientes foram nas Lojas Americanas e na Sol Informática. /// Nos arredores do shopping, principalmente na rodovia PA-275, o tráfego intenso de veículos virou um caos, exigindo a presença de agentes de trânsito, que não apareceram ao local. /// Muitos usuários que precisaram pegar van para se deslocar até o shopping reclamaram que as cooperativas que exploram o transporte coletivo circulam em quase toda a cidade para chegar ao centro de compras. /// Uma dona de casa confessou ao colunista que tomou uma van na Rua F, próximo do CDC, passou pelos bairros Rio Verde, Da Paz, Guanabara, Bela Vista, retornou ao Bairro da Paz, pegou a PA-275, na direção do viaduto, entrou no Bairro Novo Brasil, para então se deslocar ao shopping, consumindo nesse percurso 40 minutos. /// Um senhor, que não se sabe se estava muito apertado ou porque desconhecia o local, entrou no banheiro do shopping, fez xixi no conjunto de pias e foi surpreendido por um zelador, que reclamou e teve que lavar a pia. /// Na hora de lavar as mãos, o mijão tentava de todo jeito girar a parte superior da torneira da pia, mas a água não saía, porque o sistema é daqueles de pressionar a torneira para baixo. /// Na rodada do último final de semana, pelo Parazão 2011, o time do São Raimundo fez 3 a 2 na equipe do Cametá, no sábado (21), em Santarém, e o Clube do Remo 1 a 0 no time do Independente, no domingo (22), em Belém. /// No próximo sábado (28), às 20 horas, Cametá recebe São Raimundo, em Cametá, e no domingo (29), às 16 horas, Independente recepciona o Clube do Remo em Tucuruí, nos jogos de volta. /// A direção da TV Norte Carajás (afiliada da Record) informa que o escritório da emissora mudou-se da Rua C para a Rua E nº 715, Bairro Cidade Nova, Parauapebas, anexo ao posto de combustível Vale Verde. /// O sistema Disque Denúncia de Parauapebas, que atende pelo telefone (94) 3346-2250, está participando da campanha “Abuso sexual não é brincadeira!”. /// Quem tiver conhecimento de algum crime referente a abuso, exploração sexual e outros praticados contra crianças e adolescentes pode ligar para o DN que as denúncias serão encaminhadas aos órgãos competentes para as devidas averiguações. /// A coordenadora do sistema, Márcia Guimarães, garante que todos os denunciantes terão o anonimato garantido. /// Até quinta-feira (26).

segunda-feira, 23 de maio de 2011

domingo, 22 de maio de 2011

Consumo excessivo de álcool danifica memória de jovens

Pesquisadores espanhóis descobriram que uma bebedeira pode destruir a memória de jovens adultos. A pesquisa foi publicada semana passada no site do jornal britânico “The Telegraph”.

Eles acreditam que o consumo abusivo de álcool torna mais difícil a construção de novas memórias, pois o hipocampo (uma área no centro do cérebro que desempenha papel-chave na aprendizagem e memória) é muito suscetível aos seus efeitos tóxicos.

A descoberta é preocupante, pois a embriaguez é um problema crescente no Reino Unido e em outros países europeus, particularmente em jovens e universitários.

O estudo com universitários descobriu que o consumo excessivo de álcool afeta a memória declarativa uma forma de memória de longo prazo. Os estudantes mostraram uma redução na capacidade de aprender novas informações que lhes são transmitidas verbalmente.

Em uma escala, eles obtiveram as menores pontuações em dois testes para saber quanto conhecimento eles retiveram e recolheram.

Segundo a pesquisadora Maria Parada, da Universidade de Santiago de Compostela, em países do norte europeu há uma forte tradição de consumo esporádico, orientado, de álcool. Em contraste, os países da costa do Mediterrâneo, como a Espanha, são tradicionalmente caracterizados por um consumo mais regular de baixas doses de álcool.

“É importante examinar os efeitos do álcool no hipocampo, pois em estudos com animais, especialmente em ratos e macacos, esta região parece sensível aos efeitos neurotóxicos do álcool, e ela desempenha um papel fundamental na memória e aprendizado. Em outras palavras, o consumo excessivo de álcool pode afetar a memória de jovens adultos, o que pode prejudicar o seu dia a dia", observa a pesquisadora.

O estudo, publicado na revista “Alcoholism: Clinical & Experimental Research”, analisou 122 estudantes universitários espanhóis, com idades entre 18 a 20 anos. Eles foram divididos em dois grupos: os que beberam e os que se abstiveram.

Foram, então, submetidos a uma avaliação neuropsicológica que incluiu recordar experiências visuais e verbais.

“Nossa principal descoberta foi uma clara associação entre o consumo excessivo de álcool e a menor capacidade de aprender novas informações verbais em universitários saudáveis, mesmo após o controle de outras possíveis variáveis, como nível intelectual, histórico de distúrbios neurológicos ou psicopatológicos, uso de outras drogas, ou histórico familiar de alcoolismo”, detalha Maria Parada. (Fonte: Folha de S.Paulo Online)

Reciclagem

by J.Bosco

Previdência propõe aposentadoria após 65 anos de idade

Depois de fugir do debate, o governo federal finalmente resolveu apresentar uma proposta concreta para tentar estancar o déficit nas contas previdenciárias.

Em audiência na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, disse que vai instituir a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria do setor privado, válida para quem ingressar no mercado de trabalho só a partir da vigência da nova lei. Para a área pública, ele apelou para que o Congresso aprove o projeto de lei que cria um fundo de pensão para os servidores, em tramitação na Câmara. Só assim, afirmou, o Tesouro Nacional deixará de bancar benefícios elevados, ao custo de R$ 50 bilhões por ano.

“Se não estancarmos essa sangria, a Previdência vai pagar muito caro, como já está pagando. Não é uma situação para se viver”, alertou, diante dos senadores.

Segundo o ministro, a idade mínima é uma boa alternativa ao fator previdenciário uma fórmula de cálculo do valor da aposentadoria que leva em conta a idade do trabalhador, as contribuições feitas e a expectativa de vida.

Sem a barreira etária, os homens podem se aposentar hoje a qualquer tempo, desde que tenham 35 anos de contribuição. As mulheres contam com o benefício a partir de 30 anos de recolhimento. Devido ao fator, no entanto, quanto menor é a idade do segurado, menor é o valor do benefício, pois ele vai passar muitos anos recebendo na inatividade.

Para Garibaldi, o fator previdenciário é a “Geni do sistema”, numa referência à música de Chico Buarque. Ou seja, todo mundo fala mal dela. Na sua avaliação, a fórmula funciona mais para reduzir o valor do benefício do que para adiar a aposentadoria, como era o propósito em 1998.

Garibaldi concorda em abrandar o fator para os atuais trabalhadores, o que significa que quem já está no mercado de trabalho não vai precisar contar com a idade de 65 anos para se retirar.

Fórmula 85/95
Para os atuais trabalhadores, o ministro defendeu a fórmula 85/95, proposta no governo passado, que permite a aposentadoria pelo valor integral quando a soma da idade com o tempo de contribuição previdenciária atinge o número 85 para as mulheres e 95 para os homens. Na época, o Senado rejeitou a proposta, aprovando, em seu lugar, a extinção do fator. A Câmara dos Deputados acompanhou a decisão que, depois, foi vetada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Além da fórmula 85/95, Garibaldi sugeriu, para quem já trabalha, a implantação de uma idade mínima progressiva. Inicialmente, ela seria estabelecida um pouco acima da idade média de aposentadoria, hoje em torno dos 52 anos. A cada dois anos, aumentaria um ano, até chegar a 65 anos. Os trabalhadores em atividade poderiam, por um determinado período, optar pelas normas atuais ou pelo novo regime. A exemplo do que acontece em outros países, o modelo possibilitaria a aposentadoria antecipada mediante uma taxa de desconto fixo, previamente conhecida.

Morte e invalidez
Garibaldi também quer alterar as regras para a concessão das pensões por morte. Ele apontou distorções no sistema em vigor, como a ausência de carência para ter direito ao benefício, o fato de a viúva jovem receber a pensão por toda a vida, a dependência presumida do cônjuge e a concessão de valor integral sem levar em conta o número de dependentes.

O ministro também quer revisar as aposentadorias por invalidez com mais de dois anos de concessão. O alvo são possíveis fraudes. Também devem passar pelo pente fino os benefícios por incapacidade com base em decisão judicial. A ideia é suspender os pagamentos a quem recuperou a capacidade de trabalho. A economia com as iniciativas pode ser de R$ 2 bilhões. (Fonte: Correio Braziliense)

Valores universais

Willian Vieira
O ônibus escolar levanta poeira ao entrar em um dos muitos sítios de Porto Feliz, cidadela a 110 quilômetros de São Paulo, famosa pelos haras milionários. Mas são crianças de baixa renda as que descem, em fila indiana, rumo à sala de virtudes da Associação Monte Carmelo. Além de português e matemática, informática e música, o que elas aprendem nessa instituição gratuita mantida pelos bahái’ís são temas tão subjetivos como valores universais. Hoje, por exemplo, é dia de paciência.

A escola foi aberta há 20 anos. Mas a fé por trás dela surgiu há 147, quando Bahá’u’lláh passou a profetizar, na Pérsia (hoje Irã), que “Deus é um, a religião é uma e a humanidade é uma”. Paroxismo do ecumenismo religioso e do ideal de comunidade internacional, a Fé Bahá’í se define pela unidade, mesmo a religiosa. Eles creem num único Deus, sendo todos os profetas manifestações desse espírito. Inclusive Maomé. Por isso a fé é tão perseguida no Irã, onde prisões e assassinatos são comuns e seus quase 7 milhões de adeptos estão espalhados em 178 países. Para completar, a sede fica em Israel, o que alimenta acusações de espionagem internacional.

No Brasil, onde a aceitação religiosa facilita as coisas, a Fé Bahá’í chegou na mala da americana Leonora Armstrong, em 1921. Cresceu nos anos 50. E, hoje, a despeito do desconhecimento, tem mais de 60 mil adeptos em 1.215 cidades, de vilas na Amazônia à aldeia dos índios kiriri da Bahia. Agora, como eles chegaram à bucólica Porto Feliz é uma história mais longa.

De tudo o que Bahá’u’lláh escreveu, o que se destaca é o apreço pela educação. “O homem é uma mina rica em joias de inestimável valor, mas só a educação poderá revelar seus tesouros”, pregou o profeta. Pois foi justamente em Porto Feliz que um casal bahá’í, que ali tinha um sítio entre os cavalos de raça, decidiu revelar seu tesouro, doando-o à associação. Os bahá’ís ergueram uma construção, depois outra. As doações da prefeitura e de indústrias aumentaram. E a aprovação da comunidade veio com o número de crianças atendidas todo dia, cerca de 200.

“Já fomos muito estigmatizados”, diz Moisés de Oliveira, ex-administrador da associação, um sorridente bahá’í que caminha pela praça cumprimentando moradores e perguntando sobre ex-alunos da escola. Ele conta que, há alguns anos, o ônibus e a merenda dados pela prefeitura foram cortados por intervenção de um padre nada simpático à presença de uma religião “de muçulmanos iranianos”, mal-entendido comum no país. “Foi só com o protesto das mães no desfile de 7 de Setembro que eles voltaram atrás”, diz Oliveira, negro de Bauru, que de iraniano só tem o gosto pelo churrasco. “Hoje, a prefeitura nos ajuda e as pessoas querem os filhos na Monte Carmelo porque isso aumenta as chances de emprego. Mas o princípio da escola ainda são as virtudes”.

Meio-dia, e o silêncio na escola só é interrompido pelo relinchar dos cavalos. É nesse intervalo entre as duas turmas que Flávio Rassekh, arquiteto que projetou a sede da escola e acompanhou o crescimento da Monte Carmelo, discute com a coordenadora sobre as obras necessárias para evitar outro roubo de computadores. Filho de iranianos nascido no Brasil, Rassekh fala com a propriedade de quem viveu pelo projeto que melhor mostra a face de uma religião tão universalista, de preceitos vagos, que prega temas polêmicos como “unidade racial” e uma só comunidade mundial.

“Ser bahá’í é amar a humanidade como um todo. Não é uma coisa de domingo. Faz parte da vida”, diz Rassekh, que representa a comunidade brasileira na luta por direitos humanos no Irã. Ele diz que a Fé Bahá’í é a religião do futuro. Em tempos de guerras sectárias, diz, a religião é um bálsamo diplomático. Não há clero ou hierarquia, só homens e mulheres que se juntam para ler, rezar e discutir valores a cada 19 dias, festa ditada pelo calendário seguido. Eles fazem um mês de jejum por ano. Não toleram o álcool. E incentivam o comedimento, inclusive no sexo. De resto, focam-se na educação como “solução definitiva para os problemas do mundo”, seja com jovens que fazem apresentações de teatro ou escolas como a Monte Carmelo.

“Não somos proselitistas; a ideia de evangelização nos dá medo”, afirma Rassekh. “A verdade é relativa sempre, pois o dogma é o empecilho do desenvolvimento”. Os bahá’ís oferecem seus valores, diz, sem conversão. Daí a ideia de que a criança não possa ficar na escola após os 15 anos – idade tida entre os adeptos como a certa para se definir ou não como bahá’í.

Os valores parecem em voga na cidade. A maioria das famílias busca a escola para lidar com crianças difíceis, diz Ana Paula Oliveira, a coordenadora pedagógica. Mas a escola também lida com as famílias. Todo bimestre, uma assistente social e uma educadora vão ao lar e à sala de aula para “investigar” o desempenho da criança. Tudo é anotado num prontuário com o histórico de cada um. “Assim conseguimos levar valores para dentro das famílias”, diz Paula. “E não é fácil. Uma virtude leva duas semanas para ensinar”.

Fato é que as crianças internalizam os valores. “Eu trabalhava, não tinha tempo de cuidar dela o dia todo, então minha prima indicou a escola”, diz Márcia Rodrigues, recepcionista católica e mãe de Gabriele, menina geniosa de 12 anos que há seis estuda na Associação Monte Carmelo. “Ela mudou muito. Hoje me surpreende com temas como veracidade, generosidade”, diz. “Agora ela sempre quer dividir tudo, mesmo chocolate. Chega a ser engraçado”.

Todos parecem satisfeitos, exceção feita apenas aos cavalos vizinhos. Ana Paula conta que a escola tem um projeto no qual as crianças tocam numa banda com instrumentos feitos de material reciclado. Elas adoram. Mas a recepção no paraíso rural ao redor foi menor. Os donos dos cavalos de raça reclamaram que os animais ficavam estressados com a música dos meninos. Assim, um novo desafio foi imposto à Monte Carmelo. Só que parece mais difícil ensinar paciência aos cavalos. (Willian Vieira, Carta Capital)

São Paulo é a sexta cidade no mundo em número de bilionários

Jorge Eduardo Rubies
São Paulo não tem o glamour de Los Angeles, mas isso não impede que a cidade abrigue mais bilionários do que a maior cidade da Califórnia. Segundo ranking da revista Forbes, São Paulo concentra 21 magnatas em suas ruas e divide com Mumbai, na Índia, a sexta colocação entre as cidades com maior número de bilionários.

Esses brasileiros do topo da pirâmide econômica têm um patrimônio estimado em US$ 85 bilhões, enquanto os 21 indianos seguravam carteiras ainda mais recheadas, com um total de US$ 107 bilhões. Los Angeles, a cidade dos Anjos que sedia Hollywood, figura como a oitava colocada na lista divulgada pela Forbes.

Mas o lugar mais fácil de se deparar com um bilionário é Moscou. A ex-capital do comunismo é o endereço de 79 bilionários, após registrar uma assombrosa escalada na lista da Forbes. Em apenas um ano, 58 pessoas entraram para o seleto grupo. Com essa concentração, Moscou desbancou Nova York para o segundo posto. A capital de Wall Street era morada central de 59 bilionários, enquanto Londres aparecia em terceiro lugar, com 41. (Patricia Lara, Agência Estado)

sábado, 21 de maio de 2011

Coluna Linha Cruzada: 21 a 23/05

Na solenidade de inauguração do Unique Shopping Parauapebas, na última terça-feira (17), foi visto nos corredores do novo centro de compras o publicitário Glauco Lima, diretor da agência Madre, acompanhado de Celso Eluan, um dos proprietários da loja Sol Informática. /// O prefeito de Parauapebas, Darci José Lermen, que anda sumido do povo, resolveu aparecer em público por ocasião da inauguração do shopping center na cidade. /// Segundo comentários, o gestor municipal só compareceu à solenidade porque o local era restrito para autoridades, empresários, lojistas e imprensa. /// Para Darci Lermen, o shopping agora é uma realidade em Parauapebas e muito bom para todo o município. /// Ele revela que quando convidava médicos de outros centros avançados para prestar serviços na cidade, a maioria deles perguntava se em Parauapebas tinha praia, cinema, teatro, shopping e universidade. /// “Agora posso garantir àqueles profissionais que Parauapebas conta com cinema e shopping center”, frisou o prefeito. /// Darci revelou que está fechando parceria com a direção do Unique para construir rotatória ou instalar semáforos na frente do shopping para facilitar o tráfego de veículos na área. /// As rotas de van que exploram o transporte coletivo de pessoas devem ser ampliadas, não só em decorrência do funcionamento do shopping, mas também pelos novos bairros que estão surgindo no setor, garantiu. /// Marcado para este sábado (21), às 9 horas, no Espaço Maria Bonita, Bairro Rio Verde, coquetel de lançamento da revista Elegance, que tem sede em Marabá e inaugura sucursal em Parauapebas. /// Vereadores de Jacundá visitaram a Câmara Municipal de Parauapebas, na manhã da última quarta-feira (18). /// Lindomar dos Reis Marinho, presidente da Câmara de Jacundá; Rosa Maria Mulato de Souza, secretária; e Adalton Nunes, tesoureiro; conheceram a estrutura da Casa de Leis de Parauapebas e da Biblioteca Legislativa "Sônia Cortês", na companhia do presidente do Legislativo local, vereador Euzébio Rodrigues. /// De acordo com o presidente do Instituto Tecnológico Vale (ITV), Luiz Mello, o Estado do Pará é responsável por apenas 2% de ciência e tecnologia produzida no Brasil. /// Para ele, isso é muito pouco, se comparado o tamanho e a capacidade do estado. “O ITV, a ser instalado em Belém, vem para suprir este espaço, esta carência”, declarou o executivo. /// Neste sábado (21) será dado o pontapé inicial nas disputas das modalidades dos Jogos Interescolares de Parauapebas (JIPs). A competição teve abertura oficial no dia 10, durante as festividades do aniversário de 23 anos de Parauapebas. /// Neste final de semana, as disputas começam para valer entre as equipes que vão brigar pelo pódio em 2011. /// Os jogos, nas modalidades futsal e handebol, vão acontecer somente nos finais de semanas, para não atrapalhar o desempenho dos alunos em sala de aula. /// Bom final de semana.

Comunidade discute em audiência construção de ramal ferroviário

Fotos: Waldyr Silva
Composição da mesa

Público no ginásio

Renzo Albieri

Maria Cláudia

Leônidas entrega documento para mesa

Cerca de 800 pessoas representantes de vários movimentos sociais se reuniram na noite da última quinta-feira (19), na quadra de esportes da escola Chico Mendes, em Parauapebas, para discutir a construção de um ramal ferroviário de 101 quilômetros de extensão que a Vale pretende construir de Parauapebas para o projeto de mineração S11D, em Canaã dos Carajás.

A mesa da audiência pública foi composta pelo superintendente estadual do Ibama, Sergio Suzuki; Frederico Drumond Martins, chefe do ICMBio em Parauapebas; Renzo Albieri, responsável pela construção da ferrovia; Maria Cláudia Braga, consultora da empresa Arcadis Terraplan; entre outros.

Na apresentação que Renzo Albieri fez em telão, ele explicou que na definição do traçado proposto na construção do ramal as prioridades foram o afastamento da nova ferrovia das áreas urbanas existentes e da zona de expansão das cidades.

Nessas áreas, Renzo Albieri garantiu que a mineradora vai construir um túnel e dois viadutos para o tráfego de veículos no cruzamento do ramal ferroviário, “preservando a vegetação e a biodiversidade local”.

Para garantir a segurança das pessoas que precisarão cruzar a ferrovia, o responsável pela obra assegura que a Vale vai construir cerca de proteção lateral, para evitar o cruzamento em locais inadequados.

O funcionário da Vale afirmou que todas as passagens de pessoas, veículos e animais existentes ao longo do percurso da estrada de ferro serão mantidas, com a construção de 27 cruzamentos de pessoas e veículos e 17 travessias para gado, na zona rural.

Renzo Albieri informou que as obras de construção da ferrovia irão gerar cerca de 3 mil novos postos de trabalho, com prioridade para a mão de obra da região, que seria treinada com cursos de capacitação, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

ESTUDO AMBIENTAL
Por sua vez, a consultora Maria Cláudia Braga apresentou um estudo ambiental, as alternativas de traçado do ramal estudadas, diagnóstico ambiental e os impactos e programas propostos para a comunidade que mora ao longo das duas margens da ferrovia, explicando cada detalhe de sua apresentação.

Dentro do que foi apresentado, a consultora abordou sugestões de negociação com agricultores sobre indenização de terra, “com preço de mercado”, ofertas de novas oportunidades para trabalhadores rurais, monitoramento de eventuais atropelamentos de animais, recuperação de áreas degradadas e controle e monitoramento de espeleológico.

DEBATES
As apresentações dos técnicos não convenceram a maioria dos presentes, que se mostraram contrários à construção do ramal ferroviário, sob a alegação de que a obra vai trazer grandes prejuízos tanto para a população urbana quanto para agricultores localizados na zona rural.

A cada momento em que membros da sociedade se pronunciavam contra o empreendimento, mostrando que a ferrovia nos arredores da cidade pode trazer muitos problemas, ecoavam aplausos, deixando frustrados os componentes da mesa, que tentavam justificar a necessidade do ramal para a Vale transportar minério.

O secretário municipal de Cultura, Cláudio Feitosa, informou que na negociação da prefeitura para obter compensação com a obra foi solicitado à mineradora a contrapartida de R$ 80 milhões para instalação de um campus universitário em Parauapebas, mas a Vale teria oferecido apenas R$ 20 milhões, “uma ninharia, se forem considerados os lucros da empresa”.

O servidor público municipal Leônidas Mendes Filho aproveitou para entregar aos membros da mesa cópias de parecer ambiental referente ao ramal ferroviário elaborado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Muitos dos que usaram a palavra, por um período cronometrado de três minutos, creditaram toda responsabilidade em a Vale construir o ramal ferroviário à administração municipal e à Câmara de Vereadores, responsáveis pela emissão da licença para construção da ferrovia.

A maioria das propostas da comunidade sugeriu que a rota do ramal passe longe da faixa de expansão da cidade, que o município de Parauapebas seja compensado com obras de cunho social, saúde e educacional, que a ferrovia passe distante da Floresta Nacional de Carajás e que uma comissão da sociedade possa acompanhar todas as negociações em torno do assunto.

Os representantes do Ibama e da Vale informaram que o debate estava sendo gravado em áudio e imagem, que todas as propostas apresentadas seriam estudadas e analisadas, e que as decisões estariam sendo repassadas a todas entidades que participaram da audiência pública. (Waldyr Silva/Correio do Tocantins)

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Plebiscito sobre criação do Estado de Tapajós será votado dia 25

Brasília - A realização de plebiscito sobre a criação do Estado do Tapajós está na pauta da reunião da próxima quarta-feira (25) da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado. O Projeto de Decreto Legislativo (PDS) 19/99, do senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), foi aprovado na Câmara em forma de substitutivo.

O relator da proposta na CCJ, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), deu parecer favorável à aprovação da proposta, que prevê consulta à população sobre a separação da parte oeste do Estado do Pará para a criação do novo estado. O Congresso já aprovou projeto semelhante que prevê um plebiscito sobre a criação do Estado de Carajás, no sudeste do atual território paraense.

Reforma política
Na reunião de terça-feira (24), os senadores também devem fazer a leitura das primeiras propostas elaboradas pela Comissão da Reforma Política, como a proposta de emenda à Constituição (PEC) 37/11, que reduz o número de suplentes de senador de dois para um, e a PEC 40/11, que proíbe coligações partidárias nas eleições proporcionais.

Ainda consta da pauta da CCJ o exame do Projeto de Lei do Senado (PLS) 41/11, que altera o Código Eleitoral (Lei 4.737/65), estabelecendo que os suplentes de senador sejam os outros candidatos mais bem colocados no pleito, em número de dois para cada titular. Hoje cada candidato a senador já forma chapa com dois suplentes.

A reunião da CCJ na quarta-feira (25) está marcada para as 10 horas, na Sala 3 da Ala Alexandre Costa. (Paola Lima / Agência Senado)

Novo diretor-presidente da Vale assume cargo neste domingo

O Conselho de Administração da Vale aprovou, em reunião extraordinária nesta sexta-feira (20), a nomeação de Murilo Pinto de Oliveira Ferreira (foto) para suceder Roger Agnelli como diretor-presidente da empresa, a partir deste domingo (22), após o término do mandato do atual diretor-presidente, Roger Agnelli.

Murilo Ferreira, 57 anos, é graduado em Administração de Empresas pela FGV-SP, pós-graduado em Administração e Finanças pela FGV-RJ e especialização em M&A pela IMD Business School, Lausanne, Suíça.

Com mais de 30 anos de experiência no setor de mineração, Murilo Ferreira ingressou na Vale em 1998 como diretor da Vale do Rio Doce Alumínio (Aluvale), atuando em diversos cargos executivos até sua saída em 2008, quando atuava como presidente da Vale Inco (atual Vale Canadá) e diretor executivo de Níquel e Comercialização de Metais Base da Vale.

Na ata da mesma reunião extraordinária, o Conselho de Administração consignou o reconhecimento pelo “trabalho contínuo e bem-sucedido” desenvolvido por Roger Agnelli ao longo dos últimos dez anos que muito contribuiu para que a Vale alcançasse a posição de destaque que desfruta atualmente no Brasil e no mundo.