terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

‘Não há fogo no inferno, Adão e Eva não são reais’, diz o Papa Francisco

Em suas últimas revelações, o Papa Francisco disse:
“A igreja já não acredita em um inferno literal, onde as pessoas sofrem. Esta doutrina é incompatível com o amor infinito de Deus. Deus não é um juiz, mas um amigo e um amante da humanidade. Deus nos procura não para condenar, mas para abraçar. Como a história de Adão e Eva, nós vemos o inferno como um artifício literário. O inferno é só uma metáfora da alma exilada (ou isolada), que, como todas as almas em última análise, estão unidos no amor com Deus”.
Em um discurso poderoso que está repercutindo em todo o mundo, o Papa Francisco declarou:
“Todas as religiões são verdadeiras, porque elas são verdadeiras nos corações de todos aqueles que acreditam nelas. Que outro tipo existe, realmente? No passado, a igreja considerava muitas coisas como pecado que hoje já não são julgadas dessa maneira. Como um pai amoroso, nunca condena seus filhos. Nossa igreja é grande o suficiente para heterossexuais e homossexuais, por pró-vida e pró-escolha! Para os conservadores e liberais, até mesmo os comunistas são bem-vindos a se juntaram a nós. Todos nós amando e adorando o mesmo Deus. “Nos últimos seis meses, os cardeais, bispos e teólogos católicos têm debatido na Cidade do Vaticano sobre o futuro da Igreja e da redefinição das doutrinas católicas e seus dogmas”.
O Terceiro Conselho do Vaticano com o Papa Francisco concluiu anunciando que…
“O catolicismo é uma religião agora moderno e razoável, que passou por mudanças evolutivas. Hora de deixar toda intolerância. Devemos reconhecer que a verdade religiosa evolui e muda. A verdade não é absoluta ou imutável. Mesmo ateus reconhecem o divino. Através de atos de amor e caridade ateu reconhece Deus, bem como redime a sua alma, tornando-se um participante ativo na redenção da humanidade”.
A declaração sobre o discurso do papa enviou os tradicionalistas a um ataque de confusão e histeria.
“Deus está mudando e evoluindo como nós somos, porque Deus habita em nós e em nossos corações. Quando espalhar o amor e bondade no mundo, nós reconheceremos nossa divindade. A Bíblia é um livro sagrado bonito, mas, como todas as grandes obras antigas, algumas passagens estão desatualizadas. Algumas passagens chamam mesmo para intolerância ou julgamento. É o tempo de ver estes versos como interpolações posteriores, contra a mensagem do amor e da verdade. Com base em nossa nova compreensão, vamos começar a ordenar mulheres como cardeais, bispos e sacerdotes. No futuro, é minha esperança de que, um dia, um papa feminino não permita que qualquer porta que está aberta para um homem seja fechada para uma mulher”.
Alguns cardeais da Igreja Católica são contra as recentes declarações do Papa Francisco. (Fonte: OjornaldeHOJE)

2 comentários:

garcia disse...

Caro Waldir,

Asa palavras do papa Francisco estão derrubando tabus. Sempre considerei, ao longo da educação de meus filhos, que o livro de Gêneses, como uma metáfora, e não como um dogma, era uma das mais belas páginas literárias da história da humanidade. O mito Adão e Eva, como a bíblia nos relata, não deve ser levada ao pé da letra. Mas como alegoria. Profunda e necessária alegoria que, aliás, foi bem aceita pelas gerações antigas que ainda não dispunham de tantas informações que hoje dispomos e podemos utilizar para o nosso bem.
Abraços, parabéns pelo artigo em seu blog.
Agenor Garcia
jornalista.

Igor Jansen disse...

Tem coisa estranha nesse texto e muito herética, longe da tradição e dos ensinamentos católica. Texto muito mentiroso. Nunca que uma mulher vai ser sacerdotisa ou papa!